quarta-feira, 27 de março de 2019

Michell Hilton

Os encontros gays estão ameaçados

A empresa chinesa Kunlun quer vender seu popular aplicativo de encontros gays, o Grindr.

A empresa chinesa Kunlun quer vender seu popular aplicativo de encontros gays, o Grindr, depois que o governo dos EUA, que têm investigado cada vez mais os desenvolvedores de aplicativos, levantou preocupações com a segurança nacional.

Grindr, que é de propriedade da Beijing Kunlun, contratou o banco de investimentos Cowen para administrar o processo de venda, segundo a Reuters.

Os militares norte-americanos estão aos montes no aplicativo.