quarta-feira, 5 de agosto de 2020

Eis por que a enorme explosão em Beirute vai aprofundar o pesadelo financeiro do Líbano

A destruição do porto de Beirute por uma explosão maciça, em 4 de agosto, levará o Líbano a se aprofundar na prolongada crise financeira que enfrentou nos últimos meses, segundo o Financial News.

Pelo menos 100 pessoas morreram na explosão, e outras 4.000 ficaram feridas depois que milhares de toneladas de nitrato de amônio armazenadas pelo governo em um armazém voaram pelos ares. A explosão destruiu a área portuária da cidade libanesa, um centro comercial essencial para a economia do pequeno país.

A libra libanesa perdeu 80 por cento de seu valor no mercado negro desde outubro e o sistema bancário quase falido está apenas permitindo saques limitados em dinheiro pelos depositantes.

A economia do Líbano afundará ainda mais, aumentando os efeitos de seus problemas financeiros e o impacto do coronavírus. Mas o governo do país apoiado pelo Hezbollah, conhecido como “a Suíça do Oriente Médio”, pode encontrar pouco capital de simpatia quando recorrer aos credores ocidentais por uma linha de vida financeira que iria muito além da ajuda humanitária já prometida por vários países ocidentais.