terça-feira, 22 de maio de 2018

“Eu gostaria de dizer aos europeus que a situação na Arábia Saudita lembra um vulcão que está prestes a entrar em erupção. E se esse vulcão entrar em erupção, isso não afetará apenas a situação na Arábia Saudita ou a região árabe, mas afetará vocês também. Isso ocorre porque a Arábia Saudita é diversificada em termos de composição, seja tribal, social ou mesmo geracional”, disse o príncipe Khaled bin Farhan ao Middle East Eye.

Os príncipes que foram libertados do Ritz Carlton estão sob vigilância pessoal, severa e humilhante dentro da Arábia Saudita e não estão autorizados a sair do país, disse Farhan.


quarta-feira, 16 de maio de 2018

domingo, 1 de abril de 2018

O projeto NEOM irá mudar para sempre um das principais características da Arábia Saudita, mas também será uma das maiores artérias econômicas do reino.

NEOM irá mudar para sempre um das principais características da Arábia Saudita, mas também será uma das maiores artérias econômicas do reino.

O projeto será apoiado por mais de 500 bilhões de dólares nos próximos anos pela Arábia Saudita, o Fundo de Investimento Público da Arábia Saudita, investidores locais e internacionais.

NEOM também irá conectar a Ásia, Europa e África.

"O projeto NEOM se concentrará em nove setores de investimentos especializados e condições de vida que impulsionarão o futuro da civilização humana, energia, água, mobilidade, biotecnologia, alimentos, ciências tecnológicas e digitais, manufatura avançada, mídia e entretenimento. O foco nesses setores estimulará o crescimento econômico e a diversificação alimentando a inovação internacional e a manufatura, para impulsionar a indústria local, a criação de empregos e o crescimento do PIB da Arábia Saudita. NEOM atrairá investimentos privados, públicos e parcerias", disse o príncipe Mohammed bin Salman.

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018


O poderoso príncipe da Arábia Saudita está tentando tranquilizar os investidores estrangeiros, o país está aberto e pronto para os negócios após a libertação de vários personagens de alto perfil que foram presos por acusados de corrupção em 2017.

Parece que as decisões de Salman enviou (ondas de choque) aos investidores, isso pelo fato do sigilo nas prisões dos príncipes.

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Durante muitas décadas, o petróleo tinha sido a principal fonte de energia para o mundo.

Durante muitas décadas, o petróleo tinha sido a principal fonte de energia para o mundo. Para superar as necessidades econômicas cada vez maiores, as superpotências estabeleceram boas relações com a Arábia Saudita. Portanto, a Arábia Saudita não precisava se preocupar com nada. Sua economia era forte; suas deficiências de defesa foram supridas por aliados.

O mundo está tentando limitar o uso do petróleo, isso devido a preocupações com o clima. Muitos países já estão trabalhando para substituir o transporte atual por transporte elétrico. Todos estão preocupados com as mudanças climáticas.

Agora, se a Arábia Saudita quiser sobreviver, eles vão precisar transformar sua economia. O petróleo não pode ser o único em que os sauditas podem confiar agora. Eles precisam de investimentos de países estrangeiros; por isso eles precisam mudar a imagem do país (para mais tolerante). As estratégias atuais do governo saudita são direcionadas para esse objetivo.

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

O rei Salman ordenou que um depósito de 2 bilhões de dólares seja feito ao Banco Central do Iêmen, o objetivo é fortalecer a fraca moeda do país devastado pela guerra.

O rei Salman ordenou que um depósito de 2 bilhões de dólares seja feito ao Banco Central do Iêmen, o objetivo é fortalecer a fraca moeda do país devastado pela guerra civil.

"Não é um empréstimo, é um depósito e o governo iemenita legítimo não terá que devolvê-lo", disse uma fonte próxima ao governo saudita.

A moeda do Iêmen, o rial, perdeu mais da metade do seu valor em relação ao dólar dos EUA e a subida dos preços colocou algumas commodities básicas fora do alcance de muitos iemenitas.


segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

O príncipe saudita Alwaleed bin Talal foi detido em novembro no âmbito de uma investigação anticorrupção.

O príncipe saudita Alwaleed bin Talal foi detido em novembro no âmbito de uma investigação anticorrupção. Agora, se quiser sair da prisão, terá de pagar uma fiança de 6 bilhões de dólares, de acordo com um relatório do Wall Street Journal. Mesmo para um homem extremamente rico, essa é uma quantia extremamente absurda.

O rei Salman decretou um novo comitê anticorrupção, encabeçado pelo príncipe herdeiro, horas antes das prisões. Os amplos poderes do comitê incluíam o congelamento de bens, prisões, proibições de viagem e outras coisas, tudo sobre uma alegada investigação sobre corrupção.

domingo, 17 de dezembro de 2017

O príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, pode estar se preparando para assumir o poder, pois seu pai, o rei Salman, está sofrendo com problemas de saúde.

Quando a Arábia Saudita prendeu uma dúzia de príncipes, ministros e um investidor bilionário no intervalo de uma noite, muitos interpretaram o movimento como uma purga do príncipe herdeiro. "A ampla campanha de prisões parece ser a última jogada para consolidar o poder de Mohammed bin Salman, filho favorito e principal assessor do rei Salman", escreveu o jornal New York Times.

Na verdade, o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, pode estar se preparando para assumir o poder, pois seu pai, o rei Salman, está sofrendo com problemas de saúde.

domingo, 10 de dezembro de 2017

A Arábia Saudita não condenou a mudança do presidente dos EUA, Donald Trump, por reconhecer Jerusalém como a capital de Israel.

A Arábia Saudita não condenou a mudança do presidente dos EUA, Donald Trump, por reconhecer Jerusalém como a capital de Israel. Mas autoridades palestinas dizem que Riad trabalhou por semanas nos bastidores para pressioná-los a apoiar um plano de paz dos EUA.

A corte real saudita descreveu a decisão como "injustificada e irresponsável" e "um grande passo atrás nos esforços para avançar no processo de paz".

Quatro oficiais palestinos, que falaram sob condição de não serem identificados, disseram que o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, e o presidente palestino, Mahmoud Abbas, discutiam em detalhes uma grande negociação com Trump e Jared Kushner, o genro do presidente e seu conselheiro no primeiro semestre de 2018.

Um funcionário palestino disse que o príncipe Mohammed disse a Abbas: "Seja paciente, você vai ouvir boas notícias. Este processo de paz vai continuar".

Mais está por vir...

domingo, 3 de dezembro de 2017

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

  Um míssil balístico do Iêmen foi interceptado na quinta-feira pelas forças de defesa aérea da Arábia Saudita, na província de Asir, no sudoeste do país.

Um míssil balístico do Iêmen foi interceptado na quinta-feira pelas forças de defesa aérea da Arábia Saudita, na província de Asir, no sudoeste do país.

O ataque com mísseis é o segundo deste mês.

A Liga Árabe, em 19 de novembro, citou que, desde o começo do conflito no Iêmen, 78 mísseis foram disparados contra a Arábia Saudita do Iêmen.

MANCHETE SOBRE O ASSUNTO: Arábia Saudita +1...

domingo, 26 de novembro de 2017

Arábia Saudita

Mesmo que declarem ou não, uma guerra de procuração já está acontecendo entre a Arábia Saudita e o Irã no Iêmen. Um míssil balístico da milícia Houthi fez seu caminho para dentro da Arábia Saudita, mas foi abatido antes de atingir seu alvo. Isso coloca em questão a credibilidade não apenas o sistema de defesa de mísseis, mas todas as armas caras que a Arábia está comprando dos EUA. Eles venceriam uma guerra contra o Irã. No entanto, depois de ler e ouvir algumas notícias, sou da opinião de que a Arábia Saudita ficaria mais contente em empurrar Israel para a guerra contra o Irã, enquanto apoiam secretamente.

O Oriente Médio parece mais dividido do que nunca. Al Jazeera está claramente apoiando os Houthis e dando-lhes cobertura máxima, isso mostra a clara decisão do Catar contra a Arábia Saudita. Então, quando tento conectar pontos com base no interesse mútuo, encontro uma relação muito próxima com Israel. Minha conclusão é que qualquer ato de guerra iniciado ou apoiado pelos sauditas estará em coordenação direta/indireta com Israel, eu acredito que é assim que a Arábia Saudita está se preparando para a guerra contra o Irã.

domingo, 19 de novembro de 2017

Arábia Saudita pede a outras nações árabes atitude contra o regime do Irã

A Arábia Saudita e outros ministros árabes realizaram uma reunião de emergência no Cairo, o objetivo é discutir formas de enfrentar o Irã e seu aliado xiita libanês Hezbollah, que os aliados árabes dizem estar interferindo em seus assuntos internos.

Hezbollah, uma força militar e um movimento político no Líbano, faz parte de um governo libanês formado por facções rivais e um aliado do presidente Michel Aoun.

Aoun acusou a Arábia Saudita de manter Hariri como refém. Arábia Saudita e Saad Hariri negaram essas acusações sem fundamentos.


sábado, 18 de novembro de 2017

O ex-primeiro-ministro libanês, Saad Hariri, chega à Paris no sábado (18).

O ex-primeiro-ministro libanês, Saad Hariri, chega à Paris no sábado (18).

Mais cedo, ele pediu que fosse levado até o aeroporto de Riad, capital da Arábia Saudita, onde ele esteve desde a sua renúncia.

"Dizer que estou preso na Arábia Saudita e não posso deixar o país é uma mentira. Estou a caminho do aeroporto", disse Saad Hariri.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Khalid al-Falih

As investigações de corrupção da Arábia Saudita estão ligadas a apenas alguns indivíduos e não devem prejudicar investimentos no reino, disse o ministro da Energia.

Khalid al-Falih disse que a repressão estava muito atrasada e também não teria impacto nos planos de flutuar ações da gigante do petróleo Saudi Aramco.

"Todo mundo entende que este é um caso limitado e doméstico de que o governo está simplesmente limpando a casa", disse ele à margem da conferência climática da ONU em Bonn, na Alemanha.

MANCHETE SOBRE O ASSUNTO: Crackdown will not hit investments

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Mohammed bin Salman (MBS)

Muitos jornalistas e meios de comunicação ficaram presos à narrativa sensacionalista do "jogo dos tronos", relatando as recentes prisões na Arábia Saudita como um meio de proteger o trono do príncipe herdeiro Mohammed bin Salman (MBS). A narrativa predominante fora da Arábia Saudita é que algo aconteceu, algo que algumas pessoas já estão chamando de "terremoto" político e econômico. As palavras para descrever os eventos foram "caos", "caos" e "transtorno".

O que os rumores não conseguiram ver é a nova aliança que o príncipe herdeiro forjou com tecnocratas, mulheres e, mais importante, com a juventude saudita. A Arábia Saudita tem uma enorme protuberância juvenil, com 70 por cento de sua população com menos de trinta e cinco anos. Mohammed bin Salman, um líder jovem e carismático, tem sido estratégico em seu foco na juventude; ele entende que, para governar com sucesso, os jovens devem ser levados em consideração.

MANCHETE SOBRE O ASSUNTO: Mohammed bin Salman +1...

domingo, 12 de novembro de 2017

Saad Hariri

Saad Hariri, que anunciou sua renúncia como primeiro-ministro do Líbano em 4 de novembro, enquanto estava na Arábia Saudita, disse no domingo que ele é livre no reino e que retornaria ao seu país dentro de alguns dias.

Hariri anunciou sua renúncia no dia 4 de novembro em Riad, onde denunciou a preparação de um atentado contra sua vida.

Um importante realinhamento geopolítico na Arábia Saudita está em pleno andamento.

Um importante realinhamento geopolítico está em andamento na Arábia Saudita. Ele está transformando muitas décadas de relações estratégicas estabelecidas entre as superpotências mundiais e, em particular, está empurrando o Oriente Médio para frente, isso deixa muitos regimes furiosos.

MANCHETE SOBRE O ASSUNTO: Arábia Saudita "está no bom caminho"

sábado, 11 de novembro de 2017

O presidente do Líbano, Michel Aoun, pediu esclarecimentos à Arábia Saudita sobre a ausência do primeiro-ministro Saad Hariri.

O presidente do Líbano, Michel Aoun, pediu esclarecimentos à Arábia Saudita sobre a ausência do primeiro-ministro Saad Hariri.

Saad Hariri, o agora ex-primeiro-ministro do Líbano, que antes não mostrava sinais de que iria renunciar, inesperadamente voou para a Arábia Saudita e anunciou sua renúncia de lá, para o choque de seus próprios conselheiros. Ele não voltou ao Líbano desde então, e ninguém tem certeza se ele irá retornar.