terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Brexit

Novo partido político britânico que diz ser inspirado pela chegada ao poder do presidente francês, Emmanuel Macron, lançou uma campanha eleitoral nacional nesta segunda-feira com o objetivo de impedir a saída do Reino Unido da União Europeia, conhecida como Brexit.

É a mais nova onda no Reino!

MANCHETE SOBRE O ASSUNTO: O partido é inspirado em Macron




quinta-feira, 29 de junho de 2017

quinta-feira, 15 de junho de 2017

A Europa costumava ter um temível respeito pelos conservadores. Mas esses dias já passaram. Agora, o partido enfraquecido pode ter matado acidentalmente o Brexit.

Muitos no Reino Unido achavam que um pouco de medo era uma coisa boa. O medo soava como respeito e influência - e, mais do que tudo, como bons negócios. Mas agora, depois de duas eleições catastróficas em menos de um ano, isso acabou. Completamente.




quarta-feira, 12 de abril de 2017

Rússia e China podem ter interferido no referendo sobre Brexit

As conclusões estão num relatório divulgado pelo Parlamento britânico: há suspeitas fundamentadas de que hackers ao serviço de governos estrangeiros, como a Rússia e a China, podem ter provocado os problemas informáticos que se registaram semanas antes do referendo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia.

Os defensores do Brexit fizeram então correr a tese, ampliada pelas redes sociais e pelos meios de comunicação social britânicos, de que os apoiantes da permanência do Reino Unido na União estavam a organizar uma trama para desvirtuar o referendo. Numa disputa marcada pelas campanhas de desinformação e pela disputa cerrada de posições, casos como este podem ter ajudado a cavar ainda mais as trincheiras definidas — e fazer pender o resultado para o lado do Brexit.





quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Tem estado na boca de todos na Grã-Bretanha desde que o país votou para deixar a União Europeia, o agora "Brexit" entrou no dicionário

Tem estado na boca de todos na Grã-Bretanha desde que o país votou para deixar a União Europeia, o agora "Brexit" entrou no dicionário.

O Dicionário Inglês de Oxford (OED) define a palavra como "a retirada (proposta) do Reino Unido, da União Europeia e do processo político associado a ele".





segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

As reivindicações do Reino Unido sobre uma ameaça da Rússia é uma tentativa de manter a relevância internacional após cometer auto-mutilação geopolítica com o Brexit

As reivindicações do Reino Unido sobre uma ameaça da Rússia é uma tentativa de manter a relevância internacional após cometer auto-mutilação geopolítica com o Brexit, jornalista irlandesa Bryan MacDonald disse à Rádio Sputnik.

MANCHETE SOBRE O ASSUNTO: 'NATO is Last Thing They Have': UK Dreams Up Russian Threat After Brexit Trauma




domingo, 4 de dezembro de 2016

quarta-feira, 23 de novembro de 2016


Chanceler admite que o custo do Brexit é de 122 bilhões de libras esterlinas.

O golpe do Brexit para a economia revelou que a produção vai encolher.

O défice orçamental anual está previsto para ser de 30 bilhões de libras em 2019-20, em vez dos 10 bilhões projetado em março, um escalonamento de 40 bilhões com balanço no vermelho.





domingo, 20 de novembro de 2016

Tony Blair tem olhado para três potenciais locais próximos de Westminster para mudar a sua força de trabalho de 130 funcionários, o Sunday Times relatou hoje

Tony Blair tem olhado para três potenciais locais próximos de Westminster para mudar a sua força de trabalho de 130 funcionários, o Sunday Times relatou hoje.

O ex-primeiro-ministro acredita que os Tories estão 'estragando o Brexit' e Jeremy Corbyn é "um maluco", de acordo com uma fonte que falou com Blair.

Ele acha que há um "buraco enorme na política britânica que ele pode preencher.




sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Temos de assegurar que as negociações possam começar  rapidamente ... Além disso atraso não é do interesse de ninguém", disse o ministro das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier na sexta-feira

A maioria dos eleitores britânicos optaram a favor de deixar a União Europeia em um referendo realizado em junho.

"Temos de assegurar que as negociações possam começar  rapidamente ... Além disso atraso não é do interesse de ninguém", disse o ministro das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier na sexta-feira.

O ministro alemão disse ao britânico, Boris Johnson, que está em sua primeira visita a Berlim como ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, que as "negociações devem começar o mais cedo possível."

Johnson, um defensor céptico e líder do Brexit, disse acreditar que a saída da Grã-Bretanha da UE poderia ser uma solução "boa" para ambas as partes.





quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Corte da Inglaterra decidiu na quinta-feira (3) que o governo britânico precisa da aprovação parlamentar para dar início ao processo de saída da União Europeia, que ficou conhecido como Brexit. A Justiça avaliou que apenas o resultado do referendo de junho, que aprovou o afastamento do bloco europeu, não é suficiente. O governo afirmou estar decepcionado com a decisão judicial e que vai recorrer.

Na prática, a decisão judicial determina que o governo britânico não tem poder para acionar o Artigo 50 do Tratado de Lisboa da União Europeia, que a nova premiê britânica, Theresa May, tinha a intenção de fazer até o final de março de 2017. Após acionar esse artigo, o Reino Unido terá um período de dois anos para fechar os acordos considerados os mais complexos na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.




quarta-feira, 6 de julho de 2016

Rainha Elizabeth - MichellHilton.com

Na semana passada, os eleitores do Reino Unido optaram por deixar a União Europeia, balançando a economia do país e enviando todo o continente para um futuro incerto. A cabeça do Reino Unido rolou, a Rainha Elizabeth II, tem que ficar neutra em assuntos políticos e não pode sequer votar. Mas isso não significa que ela não esteja deixando escapar que ela está estressada ultimamente.

Ela se encontrou com o Primeiro-ministro da Irlanda do Norte, Martin McGuinness, e desde o eufemismo do século para descrever como ela está vendo tudo isso. "Bem, eu ainda estou viva, de qualquer maneira", disse ela com um sorriso brincando. "Tem acontecido bastante coisa ultimamente."

Nos primeiros dias do sistema feudal, as mulheres ocasionalmente seguravam o título de rei!

A democracia não é perfeita, mas é melhor do que a monarquia.




segunda-feira, 4 de julho de 2016

Brexit - MichellHilton.com

Ex-chefe de gabinete de Tony Blair disse à BBC que deveria haver outro referendo antes de a Grã-Bretanha ter permissão para deixar a União Europeia, um sinal imediato de que a classe política vai tentar sabotar a votação Brexit.

Aparecendo na BBC Newsnight, Jonathan Powell, que atualmente atua como enviado especial do Reino Unido para a Líbia, argumentou que os britânicos devem votar em sair da UE novamente.

Eu previ que aconteceria isso quase imediatamente como parte de um esforço para sabotar a vontade democrática do povo britânico.

Eles vão quer tentar oferecer a Grã-Bretanha uma "nova ideia" para permanecer na UE, ou apenas fazê-los votar outro referendo até que tenham o resultado que eles querem.

Isto é quase exatamente o que Powell está propondo quando afirma que o próximo líder do Partido Conservador, ou quem quer que vença uma eleição geral deve fazer uma nova negociação com a UE e, em seguida, fazer os britânicos votarem novamente, mesmo que eles rejeitem veementemente a União Europeia.

Este é um processo que a UE anti-democrática encontrou para sabotar a democracia britânica.




sábado, 2 de julho de 2016

Brexit e a indústria global da tecnologia - MichellHilton.com

A votação britânica para abandonar a União Europeia tem levantado muitas questões para a indústria global da tecnologia.

Na Grã-Bretanha, a maioria das empresas de tecnologia foram contra a votação de deixar UE. Um inquérito feito por um grupo da indústria da tecnologia descobriu que 87 por cento das empresas de tecnologia britânica queriam ficar na União Europeia, e que 70 por cento deles estavam preocupados que uma votação para deixar iria prejudicar a reputação de Londres como um centro de tecnologia. As empresas globais com escritórios na Grã-Bretanha, como a Microsoft, também fizeram campanha contra o movimento.

Alguns estão otimistas de que, com menos regulamentos da UE, as empresas britânicas iria prosperar. Mas a incerteza no rescaldo do voto deixa algum desconforto nas empresas.

Há também uma preocupação de que as empresas que olharam para Londres como um lugar ideal para começar sua empresa agora podem procurar outro lugar. Algumas novas empresas já começaram a avaliar se Londres ainda é o lugar certo para ter seus escritórios.

Agora, há uma abundância de trabalhadores expatriados dentro e fora da Grã-Bretanha que estão levantando questões sobre como o Brexit pode afetar suas vidas.




segunda-feira, 27 de junho de 2016

Brexit, Europa

Os cidadãos do Reino Unido votaram para sair da União Europeia.

Ao fazê-lo, eles jogaram fora meio milênio de trabalho para pacificar o continente mais devastado pela guerra no planeta Terra.

A Europa sempre esteve em guerra consigo mesmo. A Pax Romana nunca totalmente existiu. A batalha de Azincourt solidificou a inimizade entre os ingleses e franceses.

A Guerra dos Trinta Anos foi um dos conflitos mais sangrentos da história da humanidade. As guerras napoleônicas abalaram o mundo. E as guerras mundiais do século 20 mataram cerca de metade do número de pessoas que tinha existido em todo o planeta no momento em que Júlio César conquistou a Grã-Bretanha para Roma 2.000 anos antes.

Depois de muitas dessas guerras, houve tentativas de alcançar a paz entre as nações destruídas pela guerra da Europa. A Paz de Vestfália, o Congresso de Viena, e o Tratado de Versalhes todas destinadas a criar um sistema europeu de paz.

A longo prazo, Brexit representa um enorme desafio para o ideal de uma Europa pacífica e unida, e que pode vir a ser uma tragédia para o mundo.

Eles todos falharam.




domingo, 26 de junho de 2016

Brexit, Brasil, MichellHilton

Mercados tiveram seu pior dia, hemorragia de 2 trilhões no dia seguinte ao Brexit.

Foram 2 trilhões varridos dos mercados acionários globais na sexta-feira depois que a Grã-Bretanha votou para deixar a União Europeia foi a maior perda diária dos últimos tempos, superando a falência do Lehman Brothers durante a crise financeira de 2008, de acordo com os índices do Dow Jones.

Os mercados globais derraparam na sequência do resultado inesperado do referendo em 23 de junho, em que os britânicos votaram para retirar-se da União Europeia por uma margem de 52 por cento para 48 por cento.

Os mercados da Europa continental foram atingidos em cheio, Milão e Madrid tiveram queda de mais de 12 por cento foram suas maiores perdas dos últimos tempos.

O percurso começou na Ásia, com o Nikkei abaixo de 7,9 por cento, logo transportada para Wall Street quando a S&P 500 caiu 3,6 por cento.

Mohit Bajaj, diretor de soluções de comércio da WallachBeth Capital LLC, em Nova York, disse que a gravidade da situação em parte era devido aos investidores terem interpretando mal o resultado e apostado de forma errada.

Leia o artigo original em Reuters. Siga Reuters no Twitter.




Brexit

400 das pessoas mais ricas do mundo perderam 127 bilhões na sexta-feira quando os mercados de ações globais cambalearam com a notícia de que os eleitores britânicos votaram errado. Os bilionários perderam 3,2 por cento do seu valor líquido total, elevando o montante combinado em dólares para 3,9 trilhões, de acordo com o "Índice de Bilionários da Bloomberg". A maior queda pertencia a pessoa mais rica da Europa, Amancio Ortega, que perdeu mais de 6 bilhões, enquanto as outras nove pessoas caíram mais de 1 bilhão, incluindo Bill Gates, Jeff Bezos e Gerald Cavendish Grosvenor, sexto Duque de Westminster, aristocrata e a pessoa mais rica do Grã-Bretanha.

Eles não perderam nada. Você leu este trecho do artigo? O título tem uma brecha. O valor das ações das 400 pessoas mais ricas diminuiu 127 bilhões. Se não vendem, eles não perdem nada.

O raciocínio é o som, se o valor das ações aumenta, então eles não perderam nada e o título do artigo é tremenda confusão. Mas eu não iria discutir isso com ninguém, especialmente em um lugar onde os votos e o dinheiro, por algum motivo ganham de forma assustadora.

Seria mais correto dizer 'seus patrimônios líquidos diminuíram tantos bilhões'.




sábado, 25 de junho de 2016

Brexit, MichellHilton.com, Michell Hilton

Democracia (na sua forma atual) é ainda pior do que isso. Há uma cultura nos dias de hoje que se orgulha de não ser informado.

Não há dúvida em minha mente de que isso vai prejudicar a classe média e os trabalhadores pobres da Inglaterra.

Cada instituição financeira credível alertou para os perigos e foi descartado como alarmismo. Essas pessoas não precisam de outra votação, mas sim de outro cérebro.

Este é o maior problema no mundo de hoje. As pessoas pararam de ouvir especialistas e começaram a seguir suas emoções. Infelizmente, as emoções mais persuasivas são formadas por nacionalismo e ódio, que estão nos levando para baixo.




George Soros, Brexit, UE, MichellHilton

O investidor bilionário George Soros disse no sábado que o voto da Grã-Bretanha para deixar a União Europeia faz "a desintegração da UE praticamente irreversível", e que os efeitos do referendo de quinta-feira provavelmente vão danificar a Grã-Bretanha.

Grã-Bretanha foi um forte membro da União Europeia e fez muito mais do que ele tinha condições de fazer, em particular na área da imigração.

"Grã-Bretanha, eventualmente, pode ou não ser relativamente melhor do que outros países por sair da UE, mas a sua economia e as pessoas vão sofrer significativamente a curto e médio prazo", ele escreveu em um comentário no site Project Syndicate.

Uau. Como ele pode dizer isso com tanta convicção! 




sexta-feira, 24 de junho de 2016


Jeff Gundlach despejou toda a sua participação em ações europeias antes do pandemônio Brexit.

O CEO da DoubleLine disse na sexta-feira que a sua empresa vendeu toda a sua posição europeia em ações antes do fechamento do mercado na quinta-feira antes da Grã-Bretanha votar para abandonar a União Europeia e viver em uma ilha com a rainha.

Equities se reuniram na quinta-feira, enquanto a sexta-feira acabava por ser a pior sessão para ações europeias desde 2008.

Mas isso não significa que Gundlach estava totalmente pronto para um Brexit, assim como muitos outros em Wall Street.

"Sim, eu estou surpreso", disse ele sobre o resultado do referendo. "Isso sugere que a opinião pública quer uma mudança muito maior do que eu pensava."

Em um comunicado na sexta-feira, DoubleLine Capital disse que estava em uma postura de preservação do capital - uma estratégia com o objetivo principal de minimizar as perdas, normalmente através do investimento em ativos mais seguros.