segunda-feira, 17 de junho de 2019

Michell Hilton

A Huawei pode sobreviver sem a ARM?

Sem a ARM e os semicondutores dos EUA, os telefones inteligentes da Huawei não poderão competir com a Samsung, Apple e os outros grandes jogadores, inclusive internos.

A Huawei perderá continuamente participação de mercado para todos os seus concorrentes. Sem a ARM e os semicondutores dos EUA, os telefones inteligentes da Huawei não poderão competir com a Samsung, Apple e os outros grandes jogadores, e ninguém vai comprar smartphones fora da China. Sem acesso a mercados internacionais em crescimento, a Huawei ficará para trás em crescimento, receita, lucro e tecnologia.

A China carece de tecnologia de ponta para competir.

COMPARTILHE:


quinta-feira, 13 de junho de 2019

terça-feira, 11 de junho de 2019

Michell Hilton

Foxconn é a carta na manga da Apple

Caso a guerra comercial se agrave, a Foxconn disse que tem capacidade suficiente para produzir todos os iPhones que vão para os EUA fora da China.

Caso a guerra comercial entre a China e os Estados Unidos se agrave, a Foxconn disse que tem capacidade suficiente para produzir todos os iPhones que vão para os EUA fora da China.

A China é uma engrenagem crucial nos negócios da Apple, a origem da maioria dos seus iPhones e iPads, bem como do seu maior mercado internacional. Mas o presidente Donald Trump ameaçou Pequim com novas tarifas sobre cerca de 300 bilhões de dólares em produtos chineses, um ato que aumentaria dramaticamente as tensões.

Graças a Foxconn, os iPhones estão a salvo!

COMPARTILHE:


domingo, 9 de junho de 2019

sábado, 1 de junho de 2019

quinta-feira, 30 de maio de 2019

terça-feira, 14 de maio de 2019

quarta-feira, 8 de maio de 2019

terça-feira, 7 de maio de 2019

Hackers chineses usam ferramentas da NSA para ataques

Um grupo de hackers patrocinados pelo governo chinês reformulou ferramentas da NSA para atacar aliados dos EUA e empresas na Europa e na Ásia, segundo a Symantec.

Com base no tempo dos ataques e pistas no código, pesquisadores da empresa Symantec acreditam que os chineses não roubaram o código, mas o capturaram de um ataque da Agência Nacional de Segurança em seus próprios computadores.

Esse grupo chinês, considerado pelos analistas como um dos mais perigosos, é responsável por vários ataques contra alguns dos alvos de defesa mais sensíveis dentro dos EUA, incluindo fabricantes de tecnologia espacial, satélite e de propulsão nuclear.

COMPARTILHE:


segunda-feira, 6 de maio de 2019

quarta-feira, 1 de maio de 2019

O crescimento da Huawei foi enorme no primeiro trimestre

A Huawei dominou o mercado chinês de smartphones nos primeiros três meses de 2019, com uma participação recorde de 34 por cento, enquanto os rivais Oppo, Vivo, Xiaomi e Apple se debateram, aponta um novo relatório da Canalys. Foi a única fabricante de smartphones que conseguiu crescer no mercado em declínio da China.

A Huawei vendeu 59,1 milhões de smartphones no primeiro trimestre, segundo a IDC.

COMPARTILHE:


quinta-feira, 11 de abril de 2019

China cria aplicativo de propaganda comunista para crianças

O conteúdo do aplicativo, que concentra-se em submergir novas mentes na doutrina política do presidente chinês Xi Jinping, é voltado para crianças desde a escola primária até o ensino médio, com o objetivo de "consolidar sua crença no Partido Comunista da China e inspirá-los a serem sucessores socialistas confiáveis", segundo a mídia estatal.

O aplicativo supostamente tem mais de 100 milhões de usuários, mas é difícil dizer se todos os usuários instalaram o aplicativo espontaneamente.

A lavagem cerebral é altamente provável aqui.

COMPARTILHE:


quarta-feira, 10 de abril de 2019

Michell Hilton

Chinesa JD.com fará demissões em massa

A gigante chinesa JD.com planeja reduzir sua força de trabalho em até 8 por cento.

Das muitas empresas que tentam se adaptar à desaceleração da economia chinesa, a JD.com, gigante do setor de logística e comércio eletrônico, colocou-se sob os holofotes por estar planejando cortes profundos em sua força de trabalho.

Segundo a Bloomberg, as demissões podem atingir até 8 por cento dos seus 150 mil funcionários, ou mais de 12 mil empregos, segundo investidores da empresa listada na Nasdaq. Embora não esteja claro como as demissões serão distribuídas, espera-se que os cortes afetem as equipes na sede da empresa em Pequim.

COMPARTILHE:


segunda-feira, 8 de abril de 2019

terça-feira, 2 de abril de 2019

South China Morning Post é anti ou pró-Pequim?

No espectro político chinês, faz sentido onde o South China Morning Post está baseado e quem é o proprietário. O SCMP tem sede em Hong Kong e Hong Kong é pró-negócios, já que é uma cidade portuária e um centro financeiro. O SCMP é propriedade do Alibaba, e o Alibaba definitivamente quer um ambiente melhor para o setor privado na China.

É por isso que, quando você entra no SCMP, 99 por cento dos artigos pedem que o PCC afrouxe seu controle sobre a economia. E as pessoas, que acreditam que a China está melhor com o setor privado dominando tudo, compartilham artigos do SCMP sem filtrar.

Eu notei que o SCMP tem o hábito de publicar histórias anti-Pequim e depois outra história com a resposta de Pequim. Ocorre-me que isso pode ser uma estratégia para fazer as pessoas lerem as respostas de Pequim.

Se você pegar alguns jornais que claramente são controlados por Pequim, como Wei Wen Po, o objetivo não é convencer as pessoas de nada, mas afirmar a visão oficial.

COMPARTILHE:


sábado, 23 de março de 2019

Quem será o presidente chinês depois de Xi Jinping?

O próximo presidente da China está previsto para ser um desses três políticos:

Hu Chunhua, vice-premier do Conselho de Estado da República Popular da China, há muito tempo é considerado o principal candidato para suceder Xi Jinping.

Ding Xuexiang, o importante assessor político do presidente Xi.

Chen Min'er, o secretário do PCC em Chongqing.

COMPARTILHE:


domingo, 17 de março de 2019

sábado, 16 de março de 2019

quinta-feira, 7 de março de 2019