terça-feira, 13 de novembro de 2018

Ex-coronel do Exército austríaco trabalhou para a inteligência russa por quase três décadas

Um ex-coronel do Exército austríaco, que teria se aposentado em 2013, foi preso e acusado de ter trabalhado para a inteligência russa por quase três décadas.

O jornal Kronen Zeitung disse que o coronel, de 70 anos, que teria sido recrutado em 1988, encontrou-se com seu agente, um operário russo supostamente conhecido como "Yuri", a cada duas semanas e teria recebido cerca de 340 mil dólares por seus serviços. Yuri supostamente trabalhou para o GRU, agência de inteligência militar russa. Também no fim de semana, o Kronen Zeitung disse que as autoridades identificaram outro agente duplo trabalhando para os russos.

Este caso de espionagem pode minar duradouramente as relações da Áustria com a Rússia, é uma séria perda de confiança, diz o jornal.

Fonte: Krone
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

quarta-feira, 8 de março de 2017

A CIA derrotou a criptografia

A CIA pode controlar remotamente uma TV

A CIA pode controlar remotamente uma TV. Os documentos são claros, eles podem atualizar o software da TV usando uma unidade USB. Se você tem medo da CIA instalando um dispositivo de escuta no seu celular, então você deve ter medo da CIA instalando um software de escuta na sua "smart".

Se o seu dispositivo foi comprometido, nenhum serviço de mensagens pode ser seguro - tudo em um dispositivo comprometido está comprometido.

É seguro usar o WhatsApp?
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

terça-feira, 7 de março de 2017

WikiLeaks publica 'a capacidade de pirataria da CIA'


Eu não acho que as pessoas entendam os efeitos da versão Vault7, é muito mais do que apenas CIA, backdoors e hacking.

A CIA desenvolveu programas maliciosos para invadir, controlar e roubar dados de forma remota de qualquer aparelho 'smart'.

A CIA possuía aplicativos específicos para o Android, e incluíam pelo menos 24 tipos diferentes de vírus para invadir celulares Androids.

A CIA também desenvolveu vírus diversos para invasão e controle de sistemas Windows e Linux.

O risco de proliferação desses vírus eram altíssimos, a CIA possivelmente perdeu o controle dessas ferramentas.

Os hackers da CIA que operavam na Europa agiam no consulado americano de Frankfurt (Alemanha) para hackear a Europa inteira.

São 7818 arquivos de documentos e pelo menos 943 arquivos e anexos.

Vault7 cobre o período de 2013 a 2016.

A CIA perdeu o controle de suas armas cibernéticas, o que significa que qualquer pessoa com os códigos tem as capacidades da CIA.
"A única coisa que devemos temer é o próprio medo". - Um cara que não tinha problemas com a CIA
MANCHETE SOBRE O ASSUNTO: WikiLeaks publishes 'entire hacking capacity of the CIA'
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

sábado, 3 de setembro de 2016

Equipamentos de espionagem britânico atuando nos EUA

Michell Hilton

Empresa de defesa britânica forneceu uma extensa gama de equipamentos de espionagem militar a polícia dos EUA, catálogo revela.

Um catálogo vazou da empresa de defesa britânica Cobham revelando uma extensa gama de equipamentos de espionagem militar que foi fornecido para a polícia dos Estados Unidos. O catálogo de 120 páginas destaca o uso dos equipamento de vigilância, incluindo caixas pretas capazes de monitorar sinais de telefones celulares de uma cidade inteira, chamadas sem fio, mensagens de texto, equipamentos de intercepção e muito mais.

Como é que eles obtiveram as autorizações para levar essas coisas para os Estados Unidos?
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Existe espiões americanos na Coreia do Norte?

Coreia do Norte, Michell Hilton, News

A evidência sugere que há, na verdade, não são quaisquer cidadãos americanos envolvidos em atividades secretas na Coreia do Norte. É possível que existam algumas pessoas sob cobertura profunda em algum lugar, mas eu acho que é altamente improvável.

Muitas autoridades e analistas têm testemunhado a dificuldade de executar a inteligência humana na Coreia. "É praticamente impossível ligar um espião humana no Norte e penetrar o estado coreano." James Clapper, o Diretor de Inteligência Nacional dos EUA disse ao Congresso, "eu também tenho que dizer que a Coreia do Norte, é claro, é agora e sempre foi uma das, metas de inteligência mais difíceis," mas isso não é surpreendente -. o país está fechado e rigidamente policiado, as elites não interagem com alguém de fora do seu círculo. E eles não têm medo de executar as pessoas que eles vêem como uma ameaça ao seu poder.

A maioria de inteligência dos EUA vem de satélites e informações que vazam por cidadãos norte-coreanos para os coreanos que vivem fora da NK. É por isso que as informações da inteligência dos EUA e Coreia do Sul muitas vezes incorretas.

É provável que as agências de inteligência estejam tentando transformar os norte-coreanos em agentes duplos. Gente como Owen Warmbier e Kenneth Bae - ambos os quais norte-coreanos acusados ​​de espionagem - são cidadãos privados sem qualquer conexão com a inteligência dos EUA.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

quinta-feira, 30 de abril de 2015

Airbus foi alvo de agências de inteligência alemã e americana, BND e NSA

Airbus foi alvo de agências de inteligência alemã e americana, BND e NSA

Airbus anuncia que vai apresentar queixa-crime por suspeita de espionagem industrial. Imprensa noticiou que a empresa foi alvo das agências de inteligência alemã e americana, BND e NSA.

O Grupo Airbus afirmou nesta quinta-feira (30/04) que vai apresentar uma queixa-crime contra pessoas desconhecidas, após a imprensa divulgar que a empresa teria sido alvo de espionagem do Departamento Federal de Informações da Alemanha (BND) em colaboração com a Agência de Segurança Nacional (NSA) dos EUA.

"Pedimos ao governo alemão mais informações", afirmou um porta-voz da Airbus, uma das líderes mundiais nos segmentos aeroespacial e de defesa. "Vamos lançar uma queixa contra uma pessoa desconhecida por suspeita de espionagem industrial."

Mais cedo, numa conferência sobre os resultados da empresa no primeiro trimestre, o diretor financeiro da Airbus, Harald Wilhelm, afirmou que não estava surpreso com o fato de a empresa estar sujeita a tentativas de espionagem.

O site da revista alemã Spiegel noticiou, em 23 de abril último, que funcionários do BND ajudaram os EUA a espionarem alvos europeus, incluindo alemães. Entre os espionados estariam o Grupo Airbus e autoridades francesas. De acordo com a revista, a agência alemã coletou informações em mais de 40 mil casos e repassou endereços de IP e números de celulares para os americanos.

Nesta segunda-feira, o tabloide alemão Bild afirmou, citando documentos da agência de inteligência, que as agências de espionagem dos EUA tinham há anos como alvo a Airbus e a Eurocopter, atualmente chamada de Airbus Helicopters, bem como outras empresas. De acordo com a publicação, o governo alemão sabia do fato desde 2008.

"Os agentes estão aqui"

Nesta quarta-feira, o jornal alemão Süddeutsche Zeitung (SZ) e as emissoras públicas regionais de rádio e televisão NRD e WDR disseram que o a NSA a espionar altos funcionários do ministério do Exterior francês e da Comissão Europeia.

O ministro do Interior alemão, Thomas de Maizière, negou nesta quarta-feira ter mentido ao Bundestag sobre a cooperação dos alemães com as agências de espionagem dos EUA.

Em entrevista coletiva em Bruxelas, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, disse que ele propôs que órgão europeu tivesse seu próprio serviço secreto, "porque os agentes estão aqui". Ele disse não saber se espiões alemães estavam ativos na capital belga.

Juncker, que renunciou o cargo de primeiro-ministro de Luxemburgo em 2013 após um escândalo de espionagem e corrupção, afirmou que sabe, por experiência própria, que é muito difícil manter sob controle os serviços secretos.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Mata Hari - Prostituta sim, mas traidora, jamais!

Mata Hari, a espiã mais famosa do início do século XX: “Prostituta sim, mas traidora, jamais!”

A espionagem é um atraente e perigoso ofício, que teve o seu auge com as guerras mundiais, proporcionando material para centenas de livros e filmes, retratando diversos personagens lendários.

No entanto, um desses personagens se sobressai: a incrível Mata Hari. Essa bailarina holandesa, uma verdadeira “femme fatale”, teve uma origem humilde e foi acolhida dentro da grande estrutura de espionagem europeia no princípio do século XX. Mata Hari era um nome fictício, algo bastante comum no seu meio profissional.

Ela nasceu Margarita Zelle, em Leeuwarden, Holanda. Aos 18 anos, se casou com um capitão holandês de 39 anos que vivia na Indonésia. Nessa época, teve dois filhos e conheceu os segredos das danças javanesas. Em 1902, quando o fracasso de seu matrimônio era irreversível, seguindo a morte de um de seus filhos, decidiu retornar para a Europa. Aproveitando seu físico atraente e o encanto das danças orientais, adotou seu nome artístico e iniciou sua carreira como bailarina erótica em Paris. Ali, estabeleceu a base que a levaria para a vida, para o quarto e para os segredos dos políticos, empresários e militares mais influentes do continente.

Quando a Grande Guerra começou, em 1914, Mata Hari, que até então encantava o cenário do music-hall de Berlim, resolveu oferecer seus conhecimentos secretos ao chefe de espionagem alemão Eugen Kraemer. Um ano mais tarde, devido aos seus contínuos romances com militares alemães, Mata Hari passou a ser vigiada por agentes aliados, especialmente pelo capitão Ladoux, espião francês. Ao retornar para Paris em 1916, sem saída, se ofereceu para agir como espiã para a França. Conseguiu, graças ao seu poder de sedução, porém, continuou atuando para a Alemanha. Ladoux descobriu e realizou um contra-ataque bem-sucedido: ao retornar à França, em 13 de fevereiro de 1917, a irresistível Mata Hari, de 41 anos, foi presa e levada à justiça.

A bela espiã foi considerada culpada de utilizar suas relações íntimas para trabalhar como agente da Alemanha, sendo assim, condenada à morte. Sua resposta ao juiz? Que ela se deitava com militares por prazer e não por dever.“Prostituta sim, mas traidora jamais", argumentou. Sua declaração não surtiu efeito e, em 15 de outubro de 1917, foi fuzilada em Vincennes. Reza a lenda que não foi permitido que se vendassem os seus olhos magnéticos e, antes de receber os disparos, lançou um beijo aos soldados do pelotão.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

segunda-feira, 9 de março de 2015

Nova Zelândia está espionando seus vizinhos!

Agência de espionagem eletrônica da Nova Zelândia está espionando seus vizinhos e comunicações compartilhadas.

Nova Zelândia  está espionando seus vizinhos!

Eles interceptam em massa com a Agência de Segurança Nacional, através de um sistema de vigilância da Internet que é muito controversa, de acordo com documentos secretos recentemente revelados.

Governo Communications Security Bureau, equivalente da NSA da Nova Zelândia, foi varrer os dados de toda a região da Ásia-Pacífico, tendo como alvo as nações insulares, como Tuvalu, Nauru, Kiribati, Samoa, Vanuatu, Ilhas Salomão, Fiji, Tonga e França de territórios ultramarinos Nova Caledônia e Polinésia Francesa. Cada uma dessas pequenas nações e territórios mantém relações amistosas com a Nova Zelândia.

Os documentos sobre a espionagem, obtidos por pelo denunciante Edward Snowden, faz brilhar uma luz sobre o papel da Nova Zelândia nos chamados cinco olhos, uma aliança de vigilância que inclui agências de espionagem da Nova Zelândia, Estados Unidos, o Reino Unido, Canadá e Austrália.

Ex-funcionários GCSB disse ao New Zealand Herald que, durante os anos 1990, Waihopai interceptou um grande número de telefonemas e e-mails da região da Ásia-Pacífico.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

terça-feira, 25 de novembro de 2014

O que sabemos sobre Regin, o malware que poderia ser o trabalho da NSA

O que sabemos sobre Regin, o malware que poderia ser o trabalho da NSA

Por muitos anos, uma campanha sofisticada e sem precedentes de ciberespionagem conhecido como "Regin" tem sido alvo de centenas de computadores e redes em dezenas de países ao redor do mundo.

No entanto, sua existência só foi descoberta nos últimos par de dias.

Este é, provavelmente, não apenas mais um ciberataque montada por criminosos que tentam roubar números de cartão de crédito, ou por espiões que procuram propriedade intelectual e segredos comerciais. De acordo com vários pesquisadores de segurança que estão investigando isso e relatórios no domingo e segunda-feira publicada, esta é a obra sofisticada de hackers que se interessam como agentes do governo.

Pesquisadores de segurança da Symantec têm chamado Regin "incomparável" e "inovador", e que poderia ser a campanha de malware mais avançado já descoberto, uma espiada no futuro da espionagem e vigilância.

Assim como Stuxnet, o ataque cibernético que aleijou o programa nuclear do Irã, no final dos anos 2000, esta campanha foi provavelmente realizado por hackers que trabalham para um governo com recursos significativos e alguns já estão a apontar o dedo aos Estados Unidos e no Reino Unido e, mais especificamente, a NSA e sua contraparte britânica, o GCHQ.

O que é Regin?

Regin é uma ferramenta capaz de infectar e comprometer redes inteiras, não apenas computadores individuais, como as empresas de segurança Symantec e Kaspersky Labs detalhado em seus relatórios técnicos publicados no domingo e segunda-feira.

Não é apenas um vírus de computador ou malware, mas também um conjunto de ferramentas ou plataforma que pode ser utilizado para fins diferentes, dependendo das necessidades dos atacantes. Ele pode coletar senhas, recuperar arquivos apagados, e até mesmo assumir o controle de redes e infra-estruturas inteiras, de acordo com pesquisadores.

É um conjunto de ferramentas que é feito de várias peças, e que se desdobra em cinco etapas diferentes, o que torna extremamente difícil de detectar. Em uma de suas etapas, Regin se disfarça como legítimo software Microsoft para enganar metas e evitar a detecção.

Para Costin Raiu, o chefe da equipe de pesquisa e análise global da Kaspersky,

"Regin é um quebra-cabeça extremamente complexo."

Dada a sua complexidade e sofisticação, os pesquisadores da Symantec estimam que Regin foi desenvolvido por diversos autores, talvez sobre a extensão de meses ou mesmo anos.

"Não há apenas um Regin, é um quadro completo de um monte de espécies de malware," Ronald Prins, pesquisador de segurança da empresa holandesa Fox IT, disse.

Ninguém tem o quadro completo ainda. Como Sean Sullivan, pesquisador da empresa de segurança finlandesa F-Secure, colocá-lo, isto é como a descoberta de uma nova espécie de dinossauro.

"Estamos todos vendo talvez diferentes ossos do animal em geral", disse. "Nós somos capazes de tipo de lhe dar uma boa estimativa do que aquele animal faz eo que subsiste por diante e assim por diante, mas nós don ' t realmente tem o esqueleto completo."

Nenhum pesquisador conseguiu ainda explicar como Regin infecta suas vítimas. Mas agora que Regin foi exposto, provavelmente vamos ter mais informações nas próximas semanas ou meses.

Então, quem está por trás disso?

Esta é sempre a pergunta de um milhão de dólares quando se trata de operações de ciberespionagem. Desta vez, no entanto, todos os sinais parecem apontar para NSA e GCHQ.

Prins, o pesquisador cuja empresa foi contratada para investigar o hack Belgacom, não tem dúvidas. Com base nos documentos Snowden vazou no ano passado e da análise que a sua empresa tem feito do malware Regin, Prins disse que está plenamente convencido de que a NSA eo GCHQ estão por trás Regin.

UNITEDDRAKE e STRAIGHTBIZARRE são codinomes de programas da NSA, de acordo com documentos vazados. Enquanto esses codinomes não são mencionados no malware, Prins explicou que a sua descrição no documento de Snowden combina com "a funcionalidade de partes da estrutura Regin."

Pesquisadores da Kaspersky, no entanto, fez encontrar codinomes de um estilo de peças no interior um tanto similares do malware Regin.

Sullivan, o pesquisador da F-Secure, outra empresa que tem sido rastreamento Regin por anos, disse que, dada a lista de vítimas, e especialmente tendo em conta que não está entre eles, não é difícil de adivinhar "o elefante na sala, que ninguém está nomeando." (Os países cinco olhos referenciados no tweet abaixo referem-se para os EUA, Reino Unido, Austrália, Nova Zelândia, Canadá, aliados que informações de inteligência share uns com os outros.)

Ambos Symantec e Kaspersky negaram ter sido alguma ajudado qualquer das partes, incluindo os governos, para reter informações relacionadas com Regin.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter