terça-feira, 4 de outubro de 2016

Fethullah Gelen

O clérigo Fethullah Gulen, acusado sem provas pelo presidente Recep Erdogan de patrocinar uma tentativa fracassada de golpe em julho passado, estaria planejando uma fuga dos EUA.

Segundo o ministro da Justiça Bekir Bozdag, o governo recebeu informações de inteligência sobre um plano do imã para escapar de uma eventual extradição dos EUA, onde vive em exílio voluntário. O jornal turco Hürriyet publicou que ele poderia pedir asilo no Brasil, no Canadá ou na Bélgica.

Gülen lidera um movimento homônimo também conhecido como "Hizmet" ("Serviço", em turco), a quem Ancara culpa pela tentativa de golpe realizada no último dia 15 de julho. O grupo reúne centenas de instituições de ensino e prega uma versão moderada do islamismo, com grande influência na sociedade civil da Turquia.

Fethullah Gulen é um teólogo turco, literato, pensador, escritor, poeta, líder de opinião, ativista pela educação, defensor da paz, considerado como um influente erudito islâmico. Wikipédia


quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Erdogan vs Gulen - Michell Hilton

Erdogan da Turquia diz que os Estados Unidos estão legalmente vinculados por um tratado e que o país deve entregar imediatamente Fethullah Gulen.

O governo dos EUA diz que não pode extraditar Gulen, até que a Turquia possa convencer um juiz que suas alegações contra Gulen são legítimas.

Erdogan é um governante complicado. Isso significa que você tem que ser muito astuto para falsificar um golpe militar e, em seguida, usá-lo para pedir a extradição de um inimigo pessoal.

http://hosted.ap.org/dynamic/stories/U/US_TURKEY_EXTRADITION_QA

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Recep Tayyip Erdogan - MichellHilton.com

Erdogan da Turquia acusou seguidores do clérigo Fethullah Gulen de estarem envolvidos nos últimos atentados que atingiram o país.

Recep Tayyip Erdogan diz que a Turquia está enfrentando ataques conjuntos por várias organizações terroristas, que atuam em conjunto.

Ele afirma que apoiantes de Gulen foram cúmplices nas explosões, atribuída a militantes curdos.

"Este ataque mostra que não há diferença entre o PKK, ISIS e a organização Gulenist. Eles estão todos trabalhando pelo mesmo objetivo", disse Erdogan, enquanto se dirigia aos representantes de organizações não-governamentais muçulmanas em Ancara.

Erdogan está aumentando a pressão sobre os Estados Unidos para extraditarem Gulen, que está no exílio auto-imposto.

Milhares foram detidos ou demitidos em um expurgo em massa desde a tentativa de golpe no país turco.

Enquanto isso, autoridades turcas já ordenaram a detenção de quase 200 pessoas, incluindo empresários, e apreendeu seus ativos, com o foco mudando para o setor privado.

Erdogan prometeu sufocar as empresas ligadas à Gulen.