segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Uber Eats quer controlar toda a Índia

Uber deu um grande passo para expandir seu serviço de entrega de alimentos, a Uber Eats, para 246 cidades em toda a Índia.

Uber Eats fez uma grande parceria com a Café Coffee Day, uma enorme cadeia de lanchonetes indianas com 1.742 lojas.

O negócio de entrega de comida ficou um pouco mais picante na Índia!
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

terça-feira, 24 de julho de 2018

segunda-feira, 16 de julho de 2018

quarta-feira, 19 de julho de 2017

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Índia investiga suborno em compra de três aviões ERJ-145 do Brasil

As autoridades da Índia abriram uma investigação formal para esclarecer se houve suborno na compra de três aviões da fabricante de aeronaves Embraer pelas Forças Armadas indianas, em 2008

As autoridades da Índia abriram uma investigação formal para esclarecer se houve suborno na compra de três aviões da fabricante de aeronaves Embraer pelas Forças Armadas indianas, em 2008. O Departamento Central de Investigação da Índia (CBI, na sigla em inglês), apresentou uma denúncia após achar indícios de subornos no valor de aproximadamente 5,7 milhões de dólares (mais de 17 milhões de reais) através de uma subsidiária da empresa brasileira na compra das aeronaves, informou nesta sexta-feira a agência indiana PTI.

O negócio aconteceu em 2008, quando o governo indiano adquiriu três aviões ERJ-145, no valor de 208 milhões de dólares (mais de 600 milhões de reais), após um processo de seleção realizado por um comitê ministerial e da Força Aérea.

COMPARTILHE:    Facebook Twitter

sábado, 15 de outubro de 2016

Temer está na Índia para o encontro de cúpula dos Brics

O presidente Michel Temer chegou na manhã deste sábado (15) à cidade de Goa, na Índia, onde vai participar de encontro de cúpula dos Brics

O presidente Michel Temer chegou na manhã deste sábado (15) à cidade de Goa, na Índia, onde vai participar de encontro de cúpula dos Brics, bloco de países emergentes que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Temer desembarcou acompanhado da primeira-dama, Marcela Temer, e de ministros da comitiva brasileira, entre eles José Serra (Relações Exteriores) e Marcos Pereira (Indústria, Comércio Exterior e Serviços), além o secretário do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI), Moreira Franco.

“Minha ideia é aumentar o relacionamento do Brasil com a Índia. Nós temos empresas aqui na Índia, mas são poucas, por enquanto. Empresas até de muito renome no Brasil e que têm uma presença muito expressiva aqui na Índia”, afirmou o presidente.

COMPARTILHE:    Facebook Twitter

terça-feira, 21 de junho de 2016

Índia abre-se para lojas de varejo da Apple

Índia, Apple, MichellHilton.com

Apple poderia começar a abrir lojas na Índia, depois que autoridades indianas anunciaram alterações nas regras que regem o investimento estrangeiro direto, de acordo com a Reuters.

As novas regras isentam varejistas estrangeiros da regulamentação que anteriormente exigia que pelo menos 30 por cento dos bens fossem adquiridos localmente. O anúncio será um benefício para a Apple que se destina a aumentar as vendas de seus dispositivos na Índia, o segundo maior mercado de smartphones em todo o mundo.

Ao contrário de rivais fabricantes internacionais como Xiaomi, Samsung, e a rival doméstica Micromax, a Apple continua a importar seus produtos para a Índia da China, tornando-os consideravelmente mais caros.

A fabricação na Índia reduziria drasticamente o custo interno de iPhones na Índia.

A Apple é a nona colocada em termos de reconhecimento da marca na Índia atrás de marcas locais e internacionais, incluindo Samsung, Micromax, Sony e Lenovo.

No entanto, há uma demanda clara por dispositivos iPhone da Apple na Índia e muito espaço para crescimento. Apple atualmente controla apenas 2 por cento do mercado de smartphones indiano, no entanto, as vendas do iPhone cresceram 56 por cento na Índia durante a Q1 2016. Mas esse crescimento não se traduziu ainda em receita real para a Apple.

O mercado mundial de smartphones deverá abrandar consideravelmente ao longo dos próximos anos.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

quinta-feira, 2 de junho de 2016

domingo, 22 de maio de 2016

Índia rejeitou plano da Apple para importar iPhones usados

Índia rejeitou plano da Apple para importar iPhones usados

A Índia é um mercado fundamental para o crescimento da Apple. Tim Cook fez uma visita esta semana - cheia de encontros com funcionários do governo e do turismo - dando uma entrevista de 20 minutos a estação indiana NDTV abordando várias iniciativas-chave da Apple.

Na entrevista, Cook apresentou planos declarados da Apple na Índia, incluindo o seu novo escritório para a construção da Apple Mapas e um acelerador de inicialização.

Tim Cook também discutiu os planos da Apple para a Índia, como a venda de iPhones usados para melhorar a cobertura de celular, a fim de cimentar mais indianos para usarem dispositivos da Apple. O mercado se inclina fortemente para telefones Android que são mais baratos.

A Índia por sua vez rejeitou o plano de Cook de importar iPhones usados, disseram autoridades do governo na quarta-feira, um golpe para a Apple que vem buscando estimular as vendas no país.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

quinta-feira, 19 de maio de 2016

A Apple está abrindo um novo escritório na Índia

A Apple está abrindo um novo escritório na Índia

Num comunicado de imprensa, a Apple anunciou que está abrindo um novo escritório de desenvolvimento em Hyderabad, Índia. A equipe aparentemente vai se concentrar em melhorar a Apple Maps, que está profundamente integrado em todo o hardware e software como aplicativos dedicados da Apple e embutidos em outros serviços, como Siri. O novo centro irá criar até 4000 novos postos de trabalho e um salto para na economia local. Atualmente não está claro quanto à natureza da força de trabalho, mas a Apple preferiu manter sua equipe de engenharia de software na Califórnia, trabalhando apenas em Cupertino.

"A Apple está focado em fazer os melhores produtos e serviços no mundo e estamos entusiasmados para abrir este novo escritório em Hyderabad, que incidirá sobre o desenvolvimento de Mapas", disse Tim Cook, CEO da Apple..."
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

sábado, 9 de abril de 2016

Mais de 75 mortos e 200 feridos em incêndio no sul da Índia

Mais de 75 mortos e 200 feridos em incêndio no sul da Índia

Mais de 75 pessoas morreram em um grande incêndio que eclodiu em um templo no estado indiano de Kerala na manhã de domingo, disse um alto funcionário.

Vários feridos foram levado às pressas para hospitais próximos. O fogo começou durante as celebrações envolvendo fogos de artifício, disse a polícia.

A tragédia ocorreu apenas alguns dias antes do festival Vishu em 14 de abril, que marca o Ano Novo indiano e é comemorado em todo o país. A polícia, no entanto, diz que o templo tinha sido advertido sobre o uso de fogos de artifício, e que o local não tinha licença para usá-lo.

Sempre fogos de artifício!
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

A prova de que os EUA é mais pobre do que a Índia

A prova de que os EUA é mais pobre do que a Índia

Uma funcionária foi demitido da empresa de tecnologia do Vale do Silício Yelp! levantou raiva sobre as práticas trabalhistas da empresa que vale mais de 1,38 bilhões após escrever um blog que apontou que os funcionários da empresa rentável estão lutando para sobreviver.

A empregada, conhecido como Talia Jane, postou em seu blogue que muitos funcionários não conseguem pagar suas despesas básicas, em uma carta aberta ao CEO da empresa Jeremy Stoppelman, de acordo com a Business Insider. Depois de publicar a carta, Talia Jane foi demitida de seu cargo de agente de serviço ao cliente.

Sua carta é um resumo da miséria e uma prova de que os EUA é mais pobre do que a Índia.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Mark Zuckerberg sobre os comentários de Marc Andreessen

Mark Zuckerberg diz que os comentários feitos por investidores sobre Facebook e o "colonialismo" na Índia são 'perturbadores'.

O CEO do Facebook, distanciou a empresa dos comentários de Andreessen, que incluíam referências simpáticas ao colonialismo - um assunto altamente preocupante na Índia devido à história do domínio britânico e subsequente luta do país pela independência liderado por Mohandas K. Gandhi.

Os comentários, feitos por Andreessen em seu Twitter, criou uma tempestade de críticas. Andreessen pediu desculpas.

"Quero responder aos comentários de Marc Andreessen sobre a Índia ontem. Eu achei os comentários profundamente perturbadores, e eles não representam a forma como Facebook ou eu agimos", escreveu Zuckerberg em um post em sua página no Facebook.

Andreessen está entre os mais poderosos capitalistas de risco dos EUA e tem estado no conselho do Facebook desde 2008.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

A Apple fez 1 bilhão de dólares em vendas na Índia

A Apple fez 1 bilhão de dólares em vendas na Índia

A Apple alcançou o seu primeiro US $ 1 bilhão em vendas indianas em um período anual encerrado em março passado, de acordo com dados recém-publicados do secretário de empresas da Índia.

A empresa conseguiu um aumento de 44 por cento nas vendas de ano-sobre-ano, e dobrou seu lucro líquido, segundo informação do Times of India. Nos últimos dois anos as vendas locais dobraram.

A Apple teve um tempo difícil fazendo progressos no mercado indiano, uma vez que os seus produtos são muitas vezes demasiado caros para a pessoa média, e foi anteriormente desacostumado à natureza de pequena escala de vendas de telefones de varejo do país. O iPhone agora tem uma participação de 9 por cento do mercado de celulares indiano, mas ainda é eclipsada pela Samsung e Micromax, que oferecem alternativas mais baratas. 

A Apple Watch foi enviado para a Índia há apenas duas semanas, quase sete meses depois que estreou nos EUA e outros oito regiões.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

sábado, 25 de abril de 2015

Terremoto no Nepal provoca avalanche no Everest

Terremoto no Nepal provoca avalanche no Everest

Um forte terremoto atingiu o Nepal e criou tremores no norte da Índia neste sábado, deixando mais de 1,3 mil mortos e gerando uma avalanche mortal no monte Everest.

Houve informações de devastação em áreas montanhosas isoladas após o terremoto de magnitude 7,9, o pior em 81 anos no Nepal, que teve epicentro a 80 quilômetros da segunda maior cidade do Nepal, Pokhara. Um colapso nas comunicações dificultava os esforços de ajuda.

Conforme temores sobre um desastre humanitário crescem, o governo da empobrecida nação himalaia de 28 milhões de habitantes pediu por ajuda internacional. A Índia foi o primeiro país a responder, enviando uma aeronave militar com equipamentos médios e equipes de resgate.

Um porta-voz da polícia nepalesa afirmou que o número de mortos no país atingiu 1.341. Desse total, cerca de metade morreu no vale de Kathmandu. Mais 36 mortos foram registrados na Índia, 12 no Tibet chinês e quatro em Bangladesh.

O terremoto foi mais destrutivo por ter sido considerado superficial em termos de profundidade, o que intensificou sua força, que derrubou prédios, abriu valas enormes em estradas e fez a população fugir de suas casas diante da ocorrência de abalos secundários.

Milhares estão passando a noite for a de casa, montando tendas, sentando ao redor de fogueiras e comendo alimentos fornecidos por voluntários.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

Número de mortos em terremoto no Nepal sobe para 1.341!

Número de mortos em terremoto no Nepal sobe para 1.341!

O número de mortos no Nepal em decorrência de um forte terremoto ocorrido neste sábado soma 1.341, afirmou um porta-voz da polícia.

Desse total, mais de 630 pessoas foram mortas no Vale de Kathmandu e pelo menos mais 300 na capital do país. Tremor teve magnitude de 7,8, segundo o USGS.

Os tremores também foram sentidos no Paquistão, em Bangladesh, no Tibete e no Monte Everest, segundo a BBC. De acordo com a agência de notícias EFE, pelo menos onze pessoas também teriam morrido na China em consequência do terremoto.

Número de mortos em terremoto no Nepal sobe para 1.341!

Índia - O tremor sacudiu algumas regiões da Índia, principalmente o norte do país, desde Calcutá, Nova Déli, até a fronteira com o Paquistão. Ao menos seis pessoas morreram na Índia, cinco delas no estado de Bihar (noroeste), informaram autoridades.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

quinta-feira, 5 de março de 2015

Índia também proíbe a exibição de Cinquenta Tons de Cinza

O comitê de censura da Índia proibiu a exibição do filme "Cinquenta Tons de Cinza" nos cinemas do país.
 
Índia também proíbe a exibição de Cinquenta Tons de Cinza

Os produtores da adaptação cinematográfica do romance erótico escrito por E.L. James chegaram a propor uma versão sem nenhuma cena de nudez, mas não convenceram o conselho: os diálogos e a própria temática do filme foram recriminados. Ainda cabe recurso da decisão. O filme já havia sido censurado em países como Indonésia, Malásia e Quênia.

Essa não é o primeiro caso de censura de filmes na Índia. As autoridades indianas acreditam que o veto a produções com cenas de sexo pode coibir o alto número de estupros no país, o que nunca se provou.

Também nesta semana, foi vetada a exibição de um documentário da BBC que traz uma entrevista com um dos condenados pelo estupro coletivo de uma jovem dentro de um ônibus em Nova Délhi, em 2012. O governo indiano pediu ao Youtube que bloqueasse todos os acessos a India's Daughter ("Filha da Índia"), e nesta quinta-feira a maioria dos links já não estava mais no ar.

O ministro do Interior da Índia, Rajnath Singh, acusou os produtores de India's Daughter de violarem as "condições de permissão de exibição", por não terem apresentado a filmagem completa aos funcionários dos comitês examinadores.

Os comentários de Mukesh Singh, um dos quatro homens condenados à morte pelo estupro da jovem de 23 anos, causaram tumulto nas redes sociais e reacenderam o debate sobre igualdade de gêneros no país. O sistema judiciário indiano, que contém leis contra "discursos de ódio" para prevenir conflitos entre as diferentes comunidades religiosas e étnicas que compõem sua população, decidiu intervir mais uma vez no caso.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

sábado, 20 de dezembro de 2014

Longas luvas brancas para Bicycling, Varanasi, na Índia

Após post de ontem em longas luvas brancas foi publicado, nós apontamos que as duas primeiras imagens eram, na verdade, da mesma

Bicycling

Porque o meu horário na Índia foi tão desestruturado, eu teria pensado que as chances de fotografar a mesma mulher duas vezes teria sido infinitesimal.

Para ver alguém, do outro lado do mundo, com a minha mesma paixão pela mistura de cor e padrão, me fez sentir um parentesco imediato a esta mulher mistério.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Vídeo mostra Tigre branco matando jovem em zoológico na Índia

Vídeo mostra Tigre branco matando jovem em zoológico na Índia

O ataque foi registrado por câmeras de celulares dos visitantes no local.

Um tigre branco matou nesta terça-feira um jovem que entrou na jaula do animal em um zoológico de Nova Délhi, informaram uma fonte oficial e testemunhas à rede CNN. Os motivos do acidente ainda não foram esclarecidos. Enquanto os trabalhadores do zoo afirmam que o jovem entrou no recinto do animal, os visitantes afirmaram que a vítima caiu no local.

“O jovem entrou na jaula do tigre. Estamos tentando identificá-lo”, disse um funcionário do zoo, R. A. Khan, à agência local Ians. A emissora local NDTV mostrou imagens do animal movimentando o corpo do jovem de um lado para o outro. Segundo testemunhas, a vítima tinha em torno de 20 anos. “Assim que o jovem caiu na jaula do tigre, o animal se aproximou e ficou o observando em silêncio durante uns minutos antes de atacar”, contou em entrevista à agência Ians uma testemunha que gravou o acidente por telefone.

Segundo ele, os visitantes começaram a jogar pedras e fazer barulho para desviar a atenção do animal. “O tigre então foi para cima do jovem e mordeu seu pescoço”, acrescentou. A vítima teria demorado cerca de dez minutos até morrer. Os ataques de tigres em cativeiro não são comuns na Índia, mas sim em zonas rurais. Frequentemente a imprensa divulga notícias sobre vítimas destes animais que estão em perigo de extinção.

Atualmente, existem cerca de 1.700 tigres na Índia, 60 por cento da população mundial de uma espécie que também é encontrada em países asiáticos como Bangladesh, Vietnã, Tailândia, Nepal e Camboja.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Al Qaeda vai deixar de recrutar muçulmanos da Índia, diz primeiro-ministro

Al Qaeda vai deixar de recrutar muçulmanos da Índia, diz primeiro-ministro

O primeiro-ministro indiano Narendra Modi disse al Qaeda irá falhar se procura difundir a sua rede de terror em seu país porque os muçulmanos lá "vai morrer para a Índia."

Al Qaeda anunciou planos para este mês o lançamento de um novo ramo no subcontinente indiano, em uma mensagem de vídeo com o líder da Al Qaeda, Ayman al-Zawahiri .

Al-Zawahiri disse que seu grupo iria buscar apoio nos estados indianos de Assam e Gujarat, e na Caxemira, região disputada entre a Índia e o Paquistão - e que ele quer libertar os muçulmanos da "opressão" que enfrentam lá.

Mas em uma entrevista exclusiva Fareed Zakaria, Modi insistiu que tais esforços não teria sucesso.

Meu entendimento é que eles estão fazendo injustiça para com os muçulmanos do nosso país", disse ele.

"Se alguém pensa muçulmanos indianos vão dançar a sua música, eles estão enganados. Muçulmanos indianos vão viver para a Índia. Eles morrerão para a Índia. Eles não vão querer nada de ruim para a Índia."

Perguntado por que tão poucos entre os cerca de 170 milhões de muçulmanos na Índia se uniram fileiras da Al Qaeda, Modi sugeriu a questão era de uma luta mais ampla de princípios, ao invés de uma questão de nacionalidade.

"Esta é uma crise contra a humanidade, não uma crise contra um país ou uma corrida. Portanto, temos de enquadrar isso como uma luta entre a humanidade e desumanidade. Nada mais."

Índia, uma nação predominantemente hindu, tem uma população muçulmana de 13%, de acordo com censo do país.

Relações inter-religiosas tornaram-se tensas antes. Em 2002, Gujarat foi sacudido com violência anti-muçulmano, no qual mais de 1.000 pessoas, a maioria muçulmanos, foram mortos.

A maioria dos muçulmanos do mundo vivem na Ásia, com cerca de 1 bilhão na região da Ásia-Pacífico e cerca de 322 milhões no Oriente Médio e Norte da África, de acordo com o Pew Research Center.

Além de Assam, Gujarat e Caxemira, al-Zawahiri também disse em sua mensagem que ele tentaria obter apoio "para os mais vulneráveis" em Mianmar e Bangladesh.

"É a maneira óbvia de al-Zawahiri de conseguir algum dos holofotes de volta", disse ele, como o Estado Islâmico no Iraque e na Síria moveu frente e no centro.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter