terça-feira, 25 de junho de 2019

segunda-feira, 24 de junho de 2019

sábado, 22 de junho de 2019

sexta-feira, 21 de junho de 2019

Michell Hilton

Trump cancela ataque 10 minutos antes

Trump confirmou que ele cancelou abruptamente ataques militares que havia autorizado contra alvos no Irã.

Em uma série de tweets publicados nesta sexta-feira (21), o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, confirmou que ele cancelou abruptamente ataques militares que havia autorizado contra alvos no Irã.

VEJA TAMBÉM: Irã derruba drone militar dos EUA

"Nós estávamos posicionados e carregados para retaliar (o abatimento de um drone militar dos EUA pelo Irã) em três locais quando perguntei quantos poderiam morrer. O general me respondeu: '150 pessoas, senhor'. Dez minutos antes dos ataques, eu cancelei. Não seria proporcional à derrubada de um avião não tripulado", escreveu o presidente americano.

Não acredito que ele fez isso. 😖

COMPARTILHE:


quinta-feira, 20 de junho de 2019

Michell Hilton

Pentágono divulga imagem com trajetória de drone abatido

O Pentágono divulgou uma imagem que mostrava a trajetória do drone que foi abatido pelo regime do Irã nesta quinta-feira (20).

O Pentágono divulgou uma imagem que mostrava a trajetória do drone que foi abatido pelo regime do Irã nesta quinta-feira (20).
VEJA TAMBÉM: Irã quer guerra

A divulgação da imagem parece ser um esforço para reforçar o argumento de que o drone foi abatido no espaço aéreo internacional.

Teerã disse que o drone foi abatido no espaço aéreo iraniano.

COMPARTILHE:


Michell Hilton

Irã quer guerra

O Irã afirma que não busca a guerra, mas será que isso é verdade?

O Irã afirma que não busca a guerra, mas será que isso é verdade?

É natural que ninguém queira começar uma guerra, uma vez que elas acontecem quando todas as soluções diplomáticas falham. Deixando de lado todas as declarações diplomáticas com seu curso natural e observando quais países estão tentando evitá-la, surge uma pergunta: Irã está realmente entre os que querem impedir que a guerra aconteça?

Em uma rápida pesquisa, pode-se ver que o regime de Teerã não foi honesto sobre suas intenções de evitar a guerra na região.

Vamos esquecer um pouco as intervenções regionais de Teerã, e observar o comportamento agressivo do regime nas últimas semanas.

A milícia Houthi, apoiada pelo Irã, atacou civis e oleodutos na Arábia Saudita. A mesma milícia bombardeou o aeroporto de Abha.

Além disso, as evidências mostraram que o Irã atacou recentemente dois petroleiros no Golfo de Omã, incluindo um drone dos EUA hoje.

Esses ataques agressivos provam que Teerã está perseguindo a guerra.

COMPARTILHE:


Michell Hilton

O Irã "cometeu um grande erro" ao derrubar drone dos EUA

O Irã "cometeu um grande erro" derrubando o drone dos EUA perto do Estreito de Ormuz, disse o presidente Donald Trump.

O Irã "cometeu um grande erro" derrubando o drone dos EUA perto do Estreito de Ormuz, disse o presidente Donald Trump.

Considerada um grupo terrorista pelos EUA, a Guarda Revolucionária do Irã disse que o drone havia sido abatido no espaço aéreo iraniano, mas um oficial norte-americano afirma que foi no espaço aéreo internacional.

O incidente é o mais recente de uma série de provocações de Teerã.

COMPARTILHE:


sábado, 15 de junho de 2019

Michell Hilton

EUA estão avaliando resposta ao ataque a petroleiros

EUA colocam o Irã em alerta e avalia resposta ao ataque a petroleiros.

O presidente dos EUA, Donald Trump, e os líderes iranianos trocaram acusações na sexta-feira sobre quem foi responsável por explosões que paralisaram dois petroleiros no Golfo de Omã, mas ambos os lados pareceram cautelosos para não ir além de uma guerra de palavras, pelo menos por enquanto, para evitar um confronto militar direto.

Em abril, autoridades iranianas alertaram explicitamente, depois que o governo Trump reforçou a proibição das exportações de petróleo do Irã, que eles poderiam interromper o fluxo de petróleo através do Estreito de Ormuz. Os ataques, que não causaram vítimas fatais, podem ter sido calculados para mostrar que, embora Teerã não pudesse resistir a um ataque militar total dos EUA, ainda poderia abalar a Casa Branca.

Autoridades dos EUA disseram que uma ação militar contra o regime do Irã não é iminente. As agências de inteligência norte-americanas estão tentando reforçar sua avaliação inicial de que agentes iranianos sabotaram os dois petroleiros, na esperança de convencer os aliados dos EUA a se unirem à Casa Branca para condenar publicamente Teerã.

COMPARTILHE:


segunda-feira, 10 de junho de 2019

sábado, 25 de maio de 2019

Michell Hilton

O Irã pode afundar navios americanos com "armas secretas"

O Irã pode afundar navios de guerra dos EUA com "armas secretas", diz oficial militar do regime iraniano.

O Irã pode afundar navios de guerra norte-americanos enviados à região do Golfo usando mísseis e "armas secretas", disse um alto funcionário militar iraniano.

Os EUA anunciaram na sexta-feira o envio de 1.500 soldados para o Oriente Médio, descrevendo-o como um esforço para reforçar as defesas contra o Irã.

Especialistas dizem que o Irã frequentemente exagera sua capacidade de armas, embora haja preocupações sobre o seu programa de mísseis.

COMPARTILHE:


terça-feira, 21 de maio de 2019

domingo, 19 de maio de 2019

Um "ataque cirúrgico" contra o Irã?

Os clérigos não teriam um lugar na política e seriam sumariamente removidos (sabe o que "sumariamente removidos" significa aqui) ou obrigados a ir para o exílio.

Negociar com a comunidade internacional, sob um novo governo, para aliviar as sanções em troca da desaceleração total dos programas de mísseis.

Descentralizar o país de sua antiga capital, Teerã, seria inevitável.

Devolver os bilhões de dólares ao Irã que foram roubados pelos clérigos.

Com o alívio da sanções, o petróleo proporcionaria uma riqueza muito maior para o país, não para as milícias substitutas ou para as famílias dos clérigos dominantes.

COMPARTILHE:


sábado, 18 de maio de 2019

Irã declara "guerra de inteligência" com os EUA

O Irã está atualmente em "uma guerra de inteligência" com os EUA, de acordo com declarações do chefe da Guarda Revolucionária do Irã, Hossein Salami.

“Estamos em uma guerra de inteligência completa com os EUA e os inimigos da República Islâmica. Esta guerra é uma combinação de guerra psicológica, operações cibernéticas, operações militares, diplomacia, medo e intimidação“, afirmou Salami.

COMPARTILHE:


sexta-feira, 10 de maio de 2019

quinta-feira, 9 de maio de 2019

Reunião na sede da CIA pode ser um alerta para o Irã

Com o objetivo de falar sobre o Irã na semana passada, John Bolton se reuniu na sede da CIA, "o covil da morte", com os principais conselheiros de inteligência, diplomáticos e militares da administração Trump, segundo a NBC News. E se há um elemento crucial na carreira de Bolton, é querer que os EUA entrem em guerra com o regime do Irã.

COMPARTILHE:


quarta-feira, 13 de março de 2019