sexta-feira, 12 de abril de 2019

A vida em Bagdá se aproxima da normalidade

Com o fim das explosões, 16 anos após a invasão liderada pelos EUA, a vida na capital iraquiana Bagdá está começando a parecer uma cidade normal.

Com o fim das explosões, 16 anos após a invasão liderada pelos EUA, a vida na capital iraquiana Bagdá está começando a parecer uma cidade normal.

VEJA TAMBÉM: Eu nunca irei me cansar de escrever sobre o Iraque

Segundo os comerciantes locais, famílias e amigos saem para ir aos cafés e shopping centers, as pessoas realizam festas de aniversário em público e os comerciantes vendem seus produtos tranquilamente em barracas à beira da estrada.

Ataques de insurgentes não acontecem há mais de um ano, segundo os militares.

COMPARTILHE:

segunda-feira, 8 de abril de 2019

Um homem justificando seus erros em uma mídia social

Ari Fleischer (ex-secretário de imprensa do governo Bush): "A CIA, junto com os serviços de inteligência do Egito, França, Israel e outros, concluíram que Saddam tinha armas de destruição em massa. Todos acabamos errados. Isso é muito diferente de mentir."

"Depois da guerra, um grupo bipartidário foi criado para determinar o que deu errado..."

A principal descoberta do grupo foi que ocorreu uma "grande falha de inteligência".

COMPARTILHE:

sexta-feira, 15 de março de 2019

Memorando mostra que a invasão do Iraque foi um erro

Enquanto o presidente George W. Bush defendia a guerra no Iraque no verão de 2002, altos funcionários do Departamento de Estado alertaram que uma invasão para derrubar Saddam Hussein poderia provocar o caos interno no país.
Memorando de dez páginas descreve uma série de cenários catastróficos de desgraça e melancolia resultantes da invasão que desestabilizaram o Iraque.

COMPARTILHE:

segunda-feira, 31 de dezembro de 2018


segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Eu nunca irei me cansar de escrever sobre o Iraque

Eu nunca irei me cansar de escrever sobre o Iraque

O Iraque não tinha armas de destruição em massa e nem nucleares, então por que eles assassinaram o presidente Saddam Hussein? Há muitas razões por trás da execução.

Você vê, os Estados Unidos invadiram o Iraque por um único motivo. Petróleo.

O Iraque tem muito petróleo, e Saddan Hussein estava tentando mudar o sistema de distribuição de petróleo do Iraque. Isso seria muito ruim para a economia americana. Então, os americanos decidiram invadir o Iraque, destruindo completamente o país, matando milhares e milhares de pessoas. Tudo por causa do petróleo.

VEJA TAMBÉM:O Iraque era melhor nos dias de Saddam 

As pessoas ao redor do mundo ficaram furiosas com os Estados Unidos, pois as pessoas viram que todas as desculpas criadas pelos EUA eram uma mentira.

O Iraque não tinha armas químicas - isso era consenso de todos os analistas. Vários governos ao redor do mundo alertaram a imprensa sobre o Iraque ser limpo, mas o governo americano insistia em insistir que o Iraque tinha armas químicas. Depois de muito tempo, eles foram forçados a admitir a mentira.

O Iraque era um paraíso terrorista. Outro mentira sem sentido. O Iraque era um dos países mais bem organizados da região, e o terrorismo era algo muito raro. A punição para os terroristas era grave, por isso nunca foi um problema no país. Mas mesmo assim, os americanos tentaram convencer o mundo de que havia muitos terroristas ali. Mais uma vez, eles foram pegos na mentira.

Saddan era um perigo para o mundo - mentira barata, já que o mundo nunca se sentiu ameaçado por ele. Ele tinha um relacionamento bastante sólido com a maioria dos países do mundo, então essa desculpa era simplesmente ridícula.

Hoje em dia, se você olhar para o Iraque, verá um local completamente destruído, várias guerras civis, uma imagem clara do inferno. Tudo isso feito pelos Estados Unidos.

Infelizmente é assim que os americanos lidam com seus interesses.

Quem será a próxima vítima dos Estados Unidos? Só o tempo irá dizer.

COMPARTILHE:

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

O Iraque era melhor nos dias de Saddam

Na época de Saddam Hussein, que foi morto em 2006, era seguro sair à noite no Iraque. Hoje muitas pessoas dizem adeus às suas famílias antes de saírem de casa.

Pode ter havido sectarismo no governo de Saddam, mas não na sociedade iraquiana. As pessoas geralmente eram tolerantes. A maioria não sabia se seus vizinhos eram xiitas ou sunitas. Hoje existem barreiras que separam os bairros sunitas dos xiitas.

O Iraque no final da década de 1970 e toda a década de 1980 foi uma nação muito próspera e até progressista. O Iraque tinha a reputação de ter um grande sistema de educação naquela época. Saddam pode não ter tido um grande papel nisso, já que herdou o país dessa maneira, mas, apesar disso, muitas pessoas sentem nostalgia.

O álcool estava disponível e ninguém lhe faria mal algum por beber.

Os serviços públicos eram melhores sob Saddam, mesmo durante o bloqueio internacional na década de 90. Hoje, a rede elétrica e o suprimento de água estão em frangalhos. Muito pouca infra-estrutura e hospitais foram construídos desde a invasão norte-americana, que invadiu o país em busca de armas de destruição em massa.

As armas de destruição em massa nunca foram encontradas!

O QUE TEMOS ATUALMENTE? Um país dividido em abismos religiosos, onde os cristãos são atacados, sunitas e xiitas estão uns contra os outros, sem liberdade de expressão, onde as mulheres são forçadas a aderir ao código de vestimentas do Irã, o secularismo evaporou, a segurança não existe. O governo é impotente, os serviços públicos são intermitentes, a gasolina é escassa e, para piorar, o governo é corrupto.

E toda essa miséria foi conquistada ao custo de cerca de 5 mil soldados norte-americanos e mais de 100 mil iraquianos mortos. Isso faz algum sentido?

Saddam foi condenado a morte em 30 de dezembro de 2006.


COMPARTILHE:

sábado, 19 de maio de 2018

Al-Sadr e a batalha pelo futuro do Iraque

Moqtada al-Sadr

Moqtada al-Sadr se reinventou como um líder disposto a fazer campanha contra o governo corrupto e se opõe à influência iraniana nos assuntos do Iraque.

Ele prometeu ajudar os pobres, construir escolas e hospitais no Iraque, que foi atingido pela guerra para derrotar o Estado Islâmico e sofreu com os baixos preços do petróleo.

Antes da eleição, o Irã declarou publicamente que não permitiria que o bloco de al-Sadr governasse o Iraque.

COMPARTILHE:

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Clérigo xiita Muqtada al-Sadr lidera eleição no Iraque

O bloco político liderado por Muqtada al-Sadr, o clérigo xiita que lutava contra as tropas americanas, passou a liderar as eleições no Iraque, enquanto o primeiro-ministro Haider al-Abadi parecia estar lutando para garantir um segundo mandato.

O clérigo não se tornará primeiro-ministro, mas sua aparente vitória o coloca em posição de escolher alguém para o cargo.

O Iraque foi classificado entre os países mais corruptos do mundo, com alto índice de desemprego, alto índice pobreza, instituições públicas fracas e serviços ruins, apesar de ser sido um dos grandes produtores de petróleo por muitos anos.

COMPARTILHE:

domingo, 13 de maio de 2018


segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Raghad é incluída na lista dos mais procurados do Iraque

A filha de Saddam Hussein, Raghad Saddam Hussein, prometeu confrontar todos aqueles que "a insultaram", processando-os de volta.

A filha de Saddam Hussein, Raghad Hussein, prometeu confrontar todos aqueles que "a insultaram", processando-os de volta.

Seus comentários vieram em resposta à inclusão de seu nome na lista dos mais procurados do Iraque.

Os serviços de segurança iraquianos publicaram os nomes de 60 pessoas por suspeita de pertencerem ao ISIS, Al-Qaeda ou ao Partido Baath.

COMPARTILHE:

sábado, 9 de dezembro de 2017

Iraque declara o fim da guerra contra o ISIS

O primeiro-ministro iraquiano, Haider Abadi, declarou no sábado que as operações militares contra o Estado Islâmico e a libertação do território iraquiano ocupado pelo grupo chegou ao fim.

O primeiro-ministro iraquiano, Haider Abadi, declarou no sábado que as operações militares contra o Estado Islâmico e a libertação do território iraquiano ocupado pelo grupo chegou ao fim.

"Cumprimos a missão difícil em circunstâncias difíceis, e ganhamos com a ajuda de Deus, a firmeza do nosso povo e a bravura de nossas forças armadas", disse Abadi.

O fim da guerra deixa o Iraque enfrentando muitos desafios, particularmente a corrupção, contra o qual Abadi lançou uma campanha no mês passado.


COMPARTILHE:

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

"Novos obstáculos" surgiram no Iraque após a derrota do ISIS

A guerra contra o Estado Islâmico no Iraque pode acaber em breve.

A guerra contra o Estado Islâmico no Iraque pode acabar em breve, mas fornecer ajuda humanitária aos iraquianos está se tornando difícil à medida que novas divisões políticas e culturais se abrem no país devastado pelo califado.

COMPARTILHE:

domingo, 12 de novembro de 2017



segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Arábia Saudita enfatiza o apoio ao Iraque

O rei saudita Salman conversou por telefone com o primeiro-ministro do Iraque, o Dr. Haider al-Abadi, no qual destacou o apoio do Reino ao Iraque.

O rei saudita Salman conversou por telefone com o primeiro-ministro do Iraque, o Dr. Haider al-Abadi, no qual destacou o apoio do Reino ao Iraque.

Por seu lado, o primeiro-ministro iraquiano elogiou a posição do rei e seu interesse pela segurança e estabilidade do Iraque, ele também enfatizou a vontade do governo iraquiano de evitar qualquer escalada militar e garantir a segurança em todo o território iraquiano.

MANCHETE SOBRE O ASSUNTO: Rei Salman +1...

COMPARTILHE:

Forças iraquianas capturam base aérea em Kirkuk

O movimento ocorre quando o governo iraquiano luta para controlar as áreas disputadas entre Bagdá e Erbil.

O movimento ocorre quando o governo iraquiano luta para controlar as áreas disputadas entre Bagdá e Erbil.

As forças iraquianas capturaram na segunda-feira uma base aérea estratégica em Kirkuk, em meio a operações militares em curso para garantir a cidade rica em petróleo, de acordo com o Ministério da Defesa.

Mais cedo, o exército iraquiano lançou uma ampla operação destinada a capturar bases militares e campos petrolíferos em Kirkuk.


COMPARTILHE:

domingo, 8 de outubro de 2017

Irã, Iraque e Turquia procuram tripla aliança militar

A criação do "triângulo militar" foi destaque ontem em um relatório publicado pela Agência de Notícias Fars (FARS), principal fonte de notícias do Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica (IRGC) do Irã.

A criação do "triângulo militar" foi destaque ontem em um relatório publicado pela Agência de Notícias Fars (FARS), principal fonte de notícias do Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica (IRGC) do Irã.

De acordo com o relatório, o objetivo da aliança é a cooperação em defesa mútua e segurança regional, mas será que o regime iraniano é um bom aliado!?

COMPARTILHE:

sexta-feira, 29 de setembro de 2017


quarta-feira, 19 de julho de 2017

Iraque quer sangue ISIS

Para um tenente iraquiano, a luta contra o Estado Islâmico do Iraque e da Síria (ISIS) foi uma busca lenta e metódica de vingança

Para um tenente iraquiano, a luta contra o Estado Islâmico do Iraque e da Síria (ISIS), isso foi uma busca lenta e metódica de vingança. Durante três anos, ele perseguiu dois militantes do ISIS de sua aldeia, que ele acreditava ter matado seu pai. Ao longo do caminho, ele matou todos os militantes detidos após interrogatórios, ele reconhece sem remorso.


COMPARTILHE:

terça-feira, 18 de julho de 2017

É por isso que os EUA destruiu o Iraque

Se você deseja controlar o mundo, você precisa controlar o petróleo

Se você deseja controlar o mundo, você precisa controlar o petróleo. Portanto, a destruição do Iraque é um pré-requisito para controlar o petróleo. Isso significa a destruição da identidade nacional iraquiana, uma vez que os iraquianos estão comprometidos com seus princípios e direitos de acordo com o direito internacional e a Carta da ONU.

"Eu invoco você para não odiar, porque o ódio não deixa espaço para que uma pessoa seja justa e isso faz você ficar cego e fechar todas as portas do pensamento." - Saddam Hussein

COMPARTILHE: