segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

sábado, 1 de dezembro de 2018

Xi oferece apoio ao príncipe herdeiro da Arábia Saudita

O presidente da China, Xi Jinping, oferece apoio ao príncipe herdeiro saudita da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, que participa do G20.

Xi disse que a China apoiaria o desenvolvimento econômico do reino, acrescentando que a estabilidade é a base para a prosperidade e o progresso no Golfo, diz um comunicado divulgado pelo Ministério das Relações Exteriores da China.

Xi é um bom líder.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Mohammed bin Salman está indo muito bem no G20

CrownPrinceInG20

O príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, que participa da cúpula do G20 na Argentina, se reuniu com os líderes dos países participantes, incluindo o presidente francês Emmanuel Macron e o presidente russo Vladimir Putin, segundo um comunicado do Ministério das Relações Exteriores saudita.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

terça-feira, 20 de novembro de 2018

Trump diz que os EUA estão com a Arábia Saudita

Em um longo comunicado, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse nesta terça-feira que os Estados Unidos estão com a Arábia Saudita.

Trump disse que as agências de inteligência dos EUA ainda estão avaliando todas as informações sobre a morte do jornalista saudita Jamal Khashoggi.

O mundo é um lugar muito perigoso!

Fonte: White House
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

Avaliação da CIA sobre assassinato de Khashoggi é falsa

O ministro das Relações Exteriores da Arábia Saudita, Adel al-Jubeir, disse nesta terça-feira (20) que alegações, inclusive da CIA, de que o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman deu a ordem para matar o jornalista Jamal Khashoggi eram falsas.

"São vazamentos que não foram oficialmente anunciados, e notei que eles são baseados em uma avaliação, não em evidências conclusivas", disse al-Jubeir.
Fonte: Arab News, Asharq Al-Awsat
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

sábado, 17 de novembro de 2018

CIA acusa o príncipe herdeiro da Arábia Saudita

A NBC News e o Washington Post informaram que a CIA acredita que o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, ordenou a morte de Khashoggi.

O Washington Post, que divulgou as supostas descobertas da CIA, disse que a agência de inteligência dos EUA tem alta confiança em suas descobertas.

A embaixada saudita em Washington negou os relatórios.

COMPARTILHE:    Facebook Twitter

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

O épico de uma nação

A economia da Arábia Saudita, neste momento, depende em grande parte do petróleo. É o maior exportador de petróleo. O setor petrolífero responde por cerca de 87 por cento da receita orçamentária da Arábia Saudita, 90 por cento das receitas de exportação e 42 por cento do PIB. 40 por cento do PIB vem do setor privado. Os sauditas não querem ser tão dependentes do petróleo, pois o PIB flutua dramaticamente de acordo com o preço do petróleo. Portanto, eles estão diversificando sua economia. Eles estão estimulando o setor privado a criar mais empregos para os sauditas. No país, o setor imobiliário é o que mais cresce. Novas reformas irão garantir que a dependência do petróleo seja reduzida.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

terça-feira, 13 de novembro de 2018

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Governo russo cria malware industrial mais avançado já visto

Hackers apoiados pelo governo russo foram responsáveis ​​por um ataque a uma instalação petroquímica da Arábia Saudita no ano passado, segundo uma empresa de segurança cibernética. Pesquisadores de segurança da FireEye ligaram o sofisticado malware "Triton" após uma investigação.

COMPARTILHE:    Facebook Twitter

sábado, 3 de novembro de 2018

Arábia Saudita possui 10 por cento da Uber

A Bloomberg conseguiu descobrir que, por meio de participações diretas e indiretas, o governo da Arábia Saudita possui mais de 10 por cento da Uber.


Ainda não sabemos os motivos reais da Bloomberg!
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

BlackRock não cortará relações com a Arábia Saudita

O CEO da BlackRock, Larry Fink, explicou por que sua sua empresa não cortaria relações com a Arábia Saudita por conta do caso Khashoggi.

Empresas de investimento como a BlackRock estão se expandindo na Arábia Saudita, atraídas por um programa de privatização e reformas no mercado financeiro do país. Fink agora prevê que “algumas empresas podem não fazer negócios no reino, mas em muitos casos algumas empresas nunca tiveram negócios” lá. A BlackRock estabeleceu uma história, e Fink diz acreditar que a empresa "estará lá por muitos anos no futuro".

Sua posição sobre o assunto é crucial para o mundo corporativo mais amplo, e não apenas por causa dos 6 trilhões de dólares em ativos que a BlackRock administra. Sua abordagem, como a do CEO da Siemens, Joe Kaeser, sirva de modelo para os líderes empresariais que estão presos entre a pressão pública para se posicionarem contra a Arábia Saudita.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

terça-feira, 30 de outubro de 2018

sábado, 27 de outubro de 2018

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

quinta-feira, 25 de outubro de 2018