quinta-feira, 9 de novembro de 2017

A campanha anticorrupção lançada pelo príncipe herdeiro Mohamed bin Salman é apenas um pretexto e denota um desejo de poder hegemônico, diz o jornal Le Monde.

"A campanha anticorrupção lançada pelo príncipe herdeiro Mohammed bin Salman é apenas um pretexto e denota um desejo de poder hegemônico", diz o jornal Le Monde.

Muitas pessoas acreditam que a qualidade do jornalismo do Le Monde pode estar diminuindo, com as recentes mudanças de direção, motivadas pelos novos acionistas.

Deve estar tudo perfeito na França!




quinta-feira, 10 de março de 2016

"Na América Latina, a corrupção não é nem de direita nem de esquerda"

A denúncia do Ministério Público de São Paulo desta quarta-feira (09/03) contra Lula repercutiu na imprensa internacional. Os procuradores acusam o ex-presidente de cometer crimes de lavagem de dinheiro (ocultação de patrimônio), falsidade ideológica e estelionato envolvendo o triplex localizado no Guarujá (SP).

Em um artigo de opinião intitulado "Na América Latina, a corrupção não é nem de direita nem de esquerda", o jornal francês LeMonde.fr afirma que a condução coercitiva de Lula na última sexta-feira (04/03) mostrou que na Justiça brasileira agora não há mais tabu e que o ex-presidente tem sido tratado como um cidadão comum.

Financial Times ressaltou que as crescentes investigações sobre o ex-presidente "estão colocando pressão sobre a sua sucessora e protegida Dilma Rousseff", que está lutando contra a proposta de impeachment no Congresso e ações no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo a anulação de seu mandato por suspeita de corrupção.

El País, diz que "as suspeitas de corrupção cercavam ultimamente Lula, mas nunca haviam sido firmes como agora". O texto afirma que as últimas acusações contra o ex-presidente têm gerado mais tensão no Brasil, "onde a crise política é onipresente há meses", acrescentando que a popularidade de Dilma continua em baixa e a crise econômica pinta um panorama obscuro.