domingo, 10 de março de 2019

Por que o AK-47 é tão popular?

Em primeiro lugar, o AK-47 está disponível em grande número.

AK-47, um dos fuzis mais utilizados em zonas de conflito, é o rifle de assalto mais populado do mundo, mas não tem nada a ver com o seu design inerente. A razão de sua popularidade é devido à facilidade de fabricação (não envolve grandes custos de produção), mas também uma poderosa máquina de marketing por trás dele.

A URSS amarrou a icônica imagem do rifle à sua identidade nacional. Esquerdistas de todo o mundo que valorizavam o modelo soviético de governo receberam a arma, seu design e métodos de fabricação. Este rifle se espalhou com revoluções e comunismo.

Um fator a mais é que, sem direitos de patente, qualquer um podia ajustar um pouco o design básico do AK-47 e personalizá-lo de acordo com as condições locais. Então, estava disponível em todo o mundo. Outro fator foi a facilidade de uso, ao contrário de outros fuzis de assalto, que precisavam de militares treinados, o AK-47 poderia ser operado por praticamente qualquer um. Se você fosse algum pobre camponês, na África, América Latina ou no Oriente Médio, atraído por uma daquelas numerosas insurgências da era da Guerra Fria, o AK-47 era a melhor opção para você.

Simplificando a história toda, uma vez que você tenha munição para disparar, seu AK não o decepcionará; Alguns outros fuzis podem.

NOTA: Os russos produziram Kalashnikovs em massa e inundaram os mercados.


terça-feira, 5 de março de 2019

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

Tensão entre Índia e Paquistão aumentam

As tensões entre Índia e Paquistão aumentaram este mês depois que um atentado terrorista na Caxemira matou 40 soldados indianos. A Índia diz que os responsáveis pelo ataque possuem campos de treinamento no Paquistão, o que o governo do país nega.

Hoje, o Paquistão anunciou a derrubada de dois aviões da Índia na Caxemira.

NOTA: Os dois países possuem armas nucleares.


terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Contrato da Microsoft está sob fogo pelos funcionários

Mais de 100 funcionários da Microsoft assinaram uma carta aberta exigindo que a empresa cancele um contrato de 480 milhões de dólares com o Exército dos EUA.

A Microsoft ganhou o contrato para entregar 100 mil unidades do HoloLens, seu headset de realidade aumentada, que seriam usados em treinamentos pelos militares norte-americanos, mas também poderiam ajudar no “aumento da letalidade” em combates reais. Esse parece ser o foco principal das preocupações dos funcionários.


segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

Michell Hilton

SpaceX lança satélite militar após quatro tentativas

A SpaceX lançou um foguete carregando um satélite militar pela primeira vez.

A SpaceX lançou um foguete carregando um satélite militar pela primeira vez.

O foguete Falcon 9 decolou do Cabo Canaveral no domingo, depois que quatro lançamentos anteriores foram cancelados devido ao mau tempo e problemas técnicos.

É uma conquista significativa para a empresa privada de Elon Musk, que há anos tenta entrar no mercado de lançamentos espaciais militares.


sábado, 22 de dezembro de 2018

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Yandex Maps expõe bases militares secretas

O Yandex Maps revelou inadvertidamente a localização de 300 bases militares - algumas delas instalações nucleares secretas - em Israel e na Turquia.

Os locais incluem aeródromos, portos, bunkers, locais de armazenamento, bases, quartéis, instalações nucleares e edifícios aleatórios.

Fonte: FAS


sábado, 24 de novembro de 2018

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

terça-feira, 14 de agosto de 2018

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

terça-feira, 7 de agosto de 2018

segunda-feira, 16 de julho de 2018

quarta-feira, 27 de junho de 2018

sábado, 2 de junho de 2018

Google resolveu pular fora do Maven

O Project Maven é uma iniciativa do Departamento de Defesa dos Estados Unidos que prevê o uso da inteligência artificial (IA) desenvolvida pela Google para acelerar o processo de reconhecimento e objetos em drones.

Parece que o fiasco interminável sobre o envolvimento do Google com o Pentágono não vai desaparecer tão cedo.

Não sabia que os estagiários do Google tinham tanto poder!


terça-feira, 15 de maio de 2018

Coreia do Norte ameaça cancelar encontro com Trump

A Coreia do Norte ameaça cancelar o encontro de Kim Jong-un com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. A razão são os exercícios militares dos EUA com a Coreia do Sul.

A Coreia do Norte está furiosa, segundo a agência de notícias estatal, porque os exercícios militares não foram interrompidos.

MANCHETE SOBRE O ASSUNTO: Coreia do Norte suspende reunião com Sul


sábado, 12 de maio de 2018

Michell Hilton

Porque Kim Jong-un resolveu ser um cara legal

A Coreia do Norte impulsionou o avanço de seu programa com muita força e rapidez.

A Coreia do Norte impulsionou o avanço de seu programa com muita força e rapidez. Enquanto Pyongyang alcançava um nível razoável de sucesso, o país também sofria um "acidente" subterrâneo que causou terremotos terríveis na China, perdas significativas de equipamentos e muitos cientistas, engenheiros e oficiais militares de primeira linha foram mortos. O resultado foi um "recuo" em seu programa, e um alerta para o perigo com o qual eles estavam brincando.

Coreia do Norte já têm a bomba. Eles não precisam desenvolvê-la mais.

Parece que a Coreia do Norte não parou de fazer mísseis, mas resolveu parar com os mísseis balísticos e testes nucleares. Coreia está satisfeita com os resultados de seus anos de testes, eles agora são capazes de atingir os EUA, de acordo com especialistas militares. Os EUA concordaram em suspender as sanções econômicas se Pyongyang abandonasse seu programa nuclear e de mísseis balísticos. Mas eles definitivamente não pararam de fabricar mísseis.


sexta-feira, 11 de maio de 2018

Michell Hilton

CIA: Geisel foi um homem muito mal

Geisel determinou execuções sumárias

Em 1º de abril de 1974, o então presidente do Brasil, general Ernesto Geisel, deu seu aval ao chefe do Centro de Inteligência do Exército (CIE), general João Batista Figueiredo, para a continuidade da política de execução de “subversivos perigosos” adotada por seu antecessor, o general Ernesto Médici, diz documento da CIA.

MANCHETE SOBRE O ASSUNTO: Geisel determinou execuções