6 de janeiro de 2021

1 de setembro de 2020

6 de maio de 2020

Michell Hilton

Bruxelas, Europa, recessão, Michell Hilton

A Comissão Europeia estima que a economia da zona do euro sofrerá uma contração recorde de 7,7 por cento do Produto Interno Bruto este ano, como resultado da pandemia de coronavírus, se recuperando apenas parcialmente em 2021, com crescimento de 6,3 por cento.

Como consequência do confinamento causado pela pandemia do novo coronavírus, que levou ao desligamento de grande parte da economia europeia, Bruxelas também estima que a taxa de desemprego suba para 9,6 por cento este ano (de 7,5 por cento em 2019), e caia apenas parcialmente para 8,6 por cento em 2021.

A Comissão Europeia teme que, mesmo no final de 2021, a economia da Europa ainda não tenha se recuperado totalmente das perdas deste ano, estimando um crescimento na área do euro de 6,3 por cento, uma vez que se espera que o investimento permaneça moderado e que o mercado de trabalho ainda não esteja totalmente recuperado.

Compartilhe:

20 de março de 2020

Os bancos JP Morgan e Goldman Sachs estão prevendo uma contração da economia brasileira em 2020, com o Produto Interno Bruto (PIB) afetado fortemente pelos efeitos globais do coronavírus.

O JP Morgan projeta declínio de 1,0 por cento no PIB em 2020.

Goldman Sachs cortou sua projeção para a economia do Brasil em 2020, de expansão de 1,5 por cento para contração de 0,9 por cento.

Além disso, o UBS baixou a 0,5 por cento sua expectativa de crescimento para o PIB brasileiro neste ano. Credit Suisse também reduziu sua projeção de expansão de 1,4 por cento para zero, segundo a Reuters.

Compartilhe:

4 de março de 2020

Michell Hilton

Graças aos altíssimos impostos, a economia brasileira desacelerou e fecha 2019 com alta de 1,1 por cento.

Graças aos altíssimos impostos, a economia brasileira desacelerou e fecha 2019 com alta de 1,1 por cento. O brasileiro está novamente conseguindo colocar o Brasil em ordem! Viva Brasil!

O PIB melhorou, mas foi o brasileiro que se lascou trabalhando e morrendo em altos impostos, o governo só mexeu com os números.

Uns entram e destroem os números, enquanto outros entram e arrumam os números, mas quem movimenta esses números continua sendo o pagador de altos impostos, o brasileiro. É assim que a máquina funciona, sempre funcionou e continuará a funcionar. Simples e direto!

Compartilhe:

27 de outubro de 2017

A economia dos EUA cresceu mais rápido do que o esperado, a uma taxa de 3 por cento saudável no trimestre de julho a setembro, diz a AP, apesar da incerteza política e do impacto dos furacões Harvey, Irma e Maria. O valor de 3 por cento do PIB ficou acima da previsão estimada de 2,6 por cento e seguiu um crescimento de 3,1 por cento no 2T.

Trump não é um líder tão ruim assim.

Compartilhe:

15 de dezembro de 2016

30 de agosto de 2014