6 de maio de 2020

Michell Hilton

Bruxelas, Europa, recessão, Michell Hilton

A Comissão Europeia estima que a economia da zona do euro sofrerá uma contração recorde de 7,7 por cento do Produto Interno Bruto este ano, como resultado da pandemia de coronavírus, se recuperando apenas parcialmente em 2021, com crescimento de 6,3 por cento.

Como consequência do confinamento causado pela pandemia do novo coronavírus, que levou ao desligamento de grande parte da economia europeia, Bruxelas também estima que a taxa de desemprego suba para 9,6 por cento este ano (de 7,5 por cento em 2019), e caia apenas parcialmente para 8,6 por cento em 2021.

A Comissão Europeia teme que, mesmo no final de 2021, a economia da Europa ainda não tenha se recuperado totalmente das perdas deste ano, estimando um crescimento na área do euro de 6,3 por cento, uma vez que se espera que o investimento permaneça moderado e que o mercado de trabalho ainda não esteja totalmente recuperado.

Compartilhe:

14 de agosto de 2019

Michell Hilton

Wall Street divulgou mais um alerta sobre a economia norte-americana nesta quarta-feira (14), com o temor de que uma recessão chegue até 2020.

Wall Street divulgou mais um alerta sobre a economia norte-americana nesta quarta-feira (14), com o temor de que uma recessão chegue até 2020, potencialmente colidindo com a tentativa do presidente Donald Trump de conquistar um segundo mandato sem a ajuda dos russos.


O Bank of America, o Morgan Stanley, o Goldman Sachs e o UBS alertaram que as ações de Trump estão prejudicando a economia dos EUA e levando o país, e até mesmo o mundo inteiro, a uma recessão.

Em uma análise publicada na sexta-feira (09), o Bank of America, um dos maiores bancos americanos, aumentou suas chances de recessão.

Após o mercado de títulos dos EUA piscar um aviso de recessão, o Dow Jones Industrial Average mergulhou 750 pontos.

Compartilhe: