segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Zimbábue sente os efeitos da hiperinflação

Os preços de alguns bens de consumo estão disparando no Zimbábue, um eco doloroso da hiperinflação que assolou o país do sul da África há uma década.

Óleo de cozinha, bebidas alcoólicas e remédios 400 por cento.

A escassez está levando as pessoas a comprarem certos produtos no mercado negro, mas por preços muito mais altos.

O déficit orçamentário deve chegar a 11,1 por cento do PIB este ano, muito acima da meta anterior de 3,5 por cento, disse o Ministério das Finanças.

Fonte: The Wall Street Journal
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

terça-feira, 31 de julho de 2018

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Depois de 37 anos, o Zimbábue tem um novo presidente

O ex-vice-presidente Emmerson Mnangagwa assumiu nesta sexta-feira (24) o cargo de presidente provisório do Zimbábue. Ele substitui Robert Mugabe, que renunciou terça-feira (21) após a tomada do controle do país por parte dos militares. A posse ocorreu em cerimônia em um estádio da capital, Harare.

O perfil de Mnangagwa ressuscitou os fantasmas do nascimento violento do Zimbábue. O homem conhecido como "O Crocodilo", por sua politica furtiva, mas efetiva, foi vinculado aos massacres de Gukurahundi.

Os assassinatos no início da década de 1980 foram perpetrados por forças de elite treinadas na Coreia do Norte e conhecidas como a Quinta Brigada. Eles eram soldados da maioria da etnia Shona, ferozmente leais a Mugabe, que foram implantados para suprimir os seguidores de Joshua Nkomo, o rival político de Mugabe.

O que se seguiu foi o assassinato indiscriminado de talvez mais de vinte mil Ndebeles. Mnangagwa foi um agente de segurança de longa data no exército do Zimbábue, mas negou qualquer vínculo com o assassinato em massa. Esta praga na história do Zimbábue nunca foi tratada abertamente e foi trazida à superfície.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Robert Mugabe renuncia à presidência do Zimbábue

Robert Mugabe

O presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, renunciou ao seu cargo nesta terça-feira. A informação foi divulgada pelo porta-voz do Parlamento local, Jacob Mudenda.

Chefes de Estado no sul da África estão atualmente se reunindo em Luanda para discutir como intervir na crise do Zimbábue.

Este momento anuncia uma nova era para o Zimbábue.

Parlamento do Zimbábue entrou em festa, enquanto multidões se espalhavam pelas ruas para comemorar a tão aguardada partida de Robert Mugabe.

MANCHETE SOBRE O ASSUNTO: Robert Mugabe renuncia
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Mugabe deve sofrer o impeachment

O presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, ignorou um prazo fixado para ele renunciar, então agora ele deve ser removido do poder por meio do impeachment.

Os ativistas da oposição e a influente associação de veteranos da guerra de libertação do Zimbábue, anunciaram mais manifestações para pressionar Robert Mugabe, de 93 anos, o presidente mais velho do mundo, a renunciar depois de 37 anos no poder.

Um processo de impeachment provavelmente não levaria à demissão imediata de Mugabe e poderia levar algum tempo para ser concretizada.

MANCHETE SOBRE O ASSUNTO: A crise no Zimbábue pode estar longe do fim
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

domingo, 19 de novembro de 2017

Robert Mugabe promete permanecer no poder

Robert Mugabe

Em um discurso no final da noite de domingo, o presidente Robert Mugabe, de 93 anos, disse que se encontrou com o comando da força de segurança do país antes de se dirigir à nação, mas prometeu permanecer no poder.

Isso provavelmente significa que não haverá uma solução pacífica para isso.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

Alguns questionam a influência da China na crise do Zimbábue

Xi Jinping visitou o Zimbábue durante uma turnê pela África em 2015

Xi Jinping visitou o Zimbábue durante uma turnê pela África em 2015, Robert Mugabe ofereceu ao presidente chinês uma calorosa recepção e retratou as duas nações como aliados profundos.

Agora, um pouco menos de dois anos após essa visita, o presidente Mugabe, de 93 anos, que governou o Zimbábue há quase 40 anos, está sob prisão domiciliar na capital, enquanto os próprios militares circulam nas ruas, enquanto rumores apontam que Pequim pode ter dado sua bênção aos golpistas.

Menos de duas semanas antes da turbulência política atingir o país, o chefe do exército do Zimbábue, Constantino Chiwenga, visitou Pequim para uma reunião com o ministro chinês da Defesa, Chang Wanquan.

COMPARTILHE:    Facebook Twitter

A saída de Mugabe abri caminho para a esperança no Zimbábue

Mugabe resistiu a demitir-se como presidente por mais de uma década, usando resultados de eleições questionáveis ​​e força bruta para permanecer no poder.

Robert Mugabe foi demitido como chefe do partido ZANU-PF, marcando o fim de seus 37 anos de governo, e ainda mais no comando do partido no poder. Mugabe foi demitido no domingo (19) e sua esposa, a primeira-dama Grace Mugabe, foi expulsa da festa por incitar a divisão.

Mugabe foi substituído por Emmerson Mnangagwa, o vice-presidente cujo mecanismo foi o catalisador desse momento extraordinário na história do Zimbábue. Mnangagwa foi nomeado como presidente interino e será o candidato presidencial do partido para as eleições gerais do próximo ano.

Mugabe resistiu a demitir-se como presidente por mais de três décadas, usando resultados de eleições questionáveis ​​e força bruta para permanecer no poder.

Por enquanto, a esperança é tingida de incerteza. Será que os militares realmente vão renunciar em favor do povo? Uma coisa é certa, isso marca o fim de Robert Mugabe.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

Mugabe é expulso da liderança do ZANU-PF

Robert Mugabe expulso da liderança do ZANU-PF

O partido de Robert Mugabe votou para expulsá-lo da liderança, um dia depois que milhares de zimbabuenses foram às ruas para celebrar sua queda do poder.

O partido governante ZANU-PF, que realizou negociações de emergência em sua sede na capital, Harare, para considerar o destino do presidente que governou por 37 anos, nomeou o vice-presidente anteriormente demitido, Emmerson Mnangagwa, como o sucessor de Mugabe, de acordo com a BBC.

COMPARTILHE:    Facebook Twitter

sábado, 18 de novembro de 2017

Manifestantes pedem a renúncia de Robert Mugabe

Os zimbabuenses que comemoraram a esperada queda de Robert Mugabe marcharam em direção a sua residência na capital, Harare, no sábado (18).

Milhares de pessoas invadiram as ruas da capital do Zimbabué para exigir a renúncia de Robert Mugabe. Acreditam que pode agora começar uma nova era no país, livre do homem que está no poder há 37 anos.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Robert Mugabe aparece em público e faz discurso

Robert Mugabe

O presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, fez um discurso numa universidade em Harare. É a primeira vez que o líder africano aparece em público depois da escalada de tensões políticas no país.

COMPARTILHE:    Facebook Twitter

A ascensão e queda de Robert Mugabe

Robert Mugabe pode não parecer um autoritário típico, exceto, talvez, por sua insistência em raspar seu bigode ao estilo de Adolf Hitler.

Robert Mugabe pode não parecer um autoritário típico, exceto, talvez, por sua insistência em raspar seu bigode ao estilo de Adolf Hitler. E, no entanto, o ex-professor que virou libertador e governou o Zimbábue por tanto tempo, tornou-se quase uma lenda, mesmo que isso tenha custado vários anos de ditadura.

MANCHETE SOBRE O ASSUNTO: A ascensão e queda de Robert Mugabe
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Robert Mugabe é visto sorridente, mas se recusa a deixar o poder

Um presidente sorridente, Robert Mugabe, foi retratado apertando a mão do chefe militar do Zimbábue, isso um dia depois que o exército tomou o poder.

O presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, foi fotografado apertando a mão do chefe militar do país, isso um dia depois que o exército tomou o poder.

COMPARTILHE:    Facebook Twitter

A crise no Zimbábue pode estar longe do fim

O presidente da Comissão da União Africana, Moussa Faki Mahamat, esclarece: “Nós sabemos que há problemas no seio do partido no poder, provavelmente sobre a eventual sucessão do presidente Mugabe. Há divergências e esperamos que isso não conduza ao derramamento de sangue”.

Os militares estariam preparando a sucessão de Robert Mugabe e o objetivo da intervenção é evitar que a esposa, Grace Mugabe, figura controversa do partido Zanu-PF, assuma o poder.

Ser capaz de criar e sustentar uma sociedade democrática é um trabalho árduo e leva muito tempo e experiência, o que, francamente, os zimbabuenses não têm.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Os dias de Mugabe governando o Zimbábue chegaram ao fim

Parece claro que os dias de Robert Mugabe governando o Zimbábue estão chegando no fim.

Robert Mugabe, o único chefe de estado que o Zimbábue já conheceu em seus 37 anos de existência, foi hoje de manhã colocado em prisão domiciliar. Embora os militares insistissem que não era um golpe, tem todas as características de um: o exército controla a estação de televisão, o aeroporto e limitou os passos do presidente e da sua família. Relatórios não confirmados sugerem que os líderes de uma facção do ZANU-PF, o partido político no poder, estão sendo afastados de seus cargos e presos. No entanto, as próximas horas e dias vão provar minhas previsões, mas parece claro que os dias de Robert Mugabe governando o Zimbábue estão chegando no fim.

Existem diversos eventos que precipitaram a intervenção militar, mas a principal girou em torno da questão de quem iria assumir o lugar de Mugabe, de 93 anos. Então, há uma semana, as notícias pareciam inclinar-se para a sua esposa, isso depois que o vice-presidente foi demitido e castigado publicamente por mostrar "traços de deslealdade". Humilhado e temente por sua vida, ele fugiu do país.

A crise que se segue já era esperada.
COMPARTILHE:    Facebook Twitter

Partido de Mugabe diz que chefe das Forças Armadas é um traidor

 Constantino Chiwenga

O partido do Presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, acusou hoje o chefe das Forças Armadas de "conduta de traição", depois do anúncio sem precedentes.

Em comunicado, o partido presidencial, Zanu-PF, afirma que as críticas do chefe das Forças Armadas, o general Constantino Chiwenga, eram "claramente destinadas a perturbar a paz nacional (...) e demonstram uma conduta de traição da sua parte, já que foram feitas para incitar uma rebelião".

COMPARTILHE:    Facebook Twitter

Mnangagwa deve assumir o governo do Zimbábue

Emmerson Mnangagwa

O ex-vice-presidente do Zimbábue, Emmerson Mnangagwa, um veterano da luta pela libertação do país contra a dominação branca, chegou a Harare na quarta-feira para assumir o controle do governo do país.

Mnangagwa, de 75 anos, sempre foi visto como um provável sucessor de Mugabe e mantém forte apoio dos militares do país.

COMPARTILHE:    Facebook Twitter

Robert Mugabe teria sido preso pelos militares

Robert Mugabe teria sido preso, pois a situação no Zimbábue parece cada vez mais um golpe.

O presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, teria sido preso, enquanto a situação no país parece cada vez mais um golpe.

O presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, presumivelmente está sob prisão domiciliar, o Exército tomou a televisão estatal, ZBC, depois de uma madrugada em que a capital do país foi abalada por três explosões.

Existe uma forte presença militar nas ruas de Harare e do parlamento do Zimbábue e os escritórios do presidente também foram tomados. As universidades adiaram os aulas e pediram que os estudantes fiquem em casa.

Ninguém ouviu falar de Mugabe ou de sua esposa Grace Mugabe, uma vez que os tanques foram vistos em Harare em 14 de novembro. A South African Broadcasting Corporation (livestream) informou que o casal está sob prisão domiciliar. O ministro das Finanças do país, Ignatius Chombo, e vários ministros leais à facção de Grace Mugabe foram detidos, de acordo com a Reuters.

Os zimbabuenses acordaram na quarta-feira, hora local, para descobrir que os líderes das Forças de Defesa do Zimbábue tomaram o controle da emissora estatal com a promessa de restaurar a ordem do país, mas insistiu que não era um golpe militar.

COMPARTILHE:    Facebook Twitter